Perigo à vista

O ginásio de esportes da Sociedade Recreativa União Mineira, ao lado do Rio Criciúma pode desabar. Rachaduras nas paredes e no chão comprometem a estrutura, sete estacas de madeira seguram o telhado que também pode vir ao chão.  Os moradores que residem próximo à construção temem que caso o ginásio venha a baixo, feche o rio e provoque alagamento.

O presidente do clube, Airton Francisconi, culpa a Prefeitura de Criciúma pelo prejuízo. “Escavaram o leito do rio muito próximo ao ginásio, alguns pilares e vigas se romperam, a água começou a entrar, com isso vieram rachaduras e a estrutura começou a ceder”, relata Francisconi. E ainda garante. “O ginásio foi construído há 40 anos e sempre foi realizada a manutenção. Era nossa fonte de renda, pois o espaço era alugado para jogos. Até disputas dos Jogos Abertos foram realizadas lá”, destaca.

A situação foi encaminhada ao Ministério Público (MP), e o prédio foi interditado em novembro do no ano passado, após uma vistoria realizada pela Defesa Civil de Criciúma. “A diretoria do clube precisa apresentar um laudo técnico de demolição ou restauração do local, pois existe risco de queda. Pelo que percebemos por vários anos não era feita a manutenção no prédio. A princípio até que esta documentação não seja apresentada não temos o que fazer”, finaliza Borba.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.