Centro de Reabilitação Pós-Covid-19 completa um ano de atividades

Desde sua inauguração, o espaço já atendeu mais de mil pacientes

O Centro de Reabilitação Cardiopulmonar Pós-Covid-19, em Criciúma, completa um ano de atividades nesta terça-feira, dia 28. Desde a sua inauguração, o espaço já atendeu mais de mil pacientes. Destes, 300 já completaram o tratamento e receberam alta. O centro está montado no antigo Hospital do Rio Maina e conta com profissionais capacitados para tratamento de sequelas físicas e psicológicas da Covid-19.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

O serviço, que é referência nacional, é oferecido pela Secretaria de Saúde de Criciúma. Um dos organizadores do projeto é o médico da Secretaria de Saúde, Luiz Carlos Fontana, que iniciou o planejamento para abertura do Centro em abril de 2020. Os atendimentos iniciaram junto com o Hospital do Rio Maina, no dia 28 de setembro de 2020, com três profissionais. A estrutura completa, no local que funciona atualmente, ficou pronta em 8 de novembro de 2020.

“Há um ano a gente não imaginava que conseguiria ter um resultado tão bom. Acabamos virando referência nacional e conseguimos fazer um projeto tão bom e atender tantas pessoas em pouco tempo. A satisfação é grande pois como a Covid-19 era uma doença nova, quando começou não tínhamos ideia de como seria. Praticamente todos os pacientes que atendemos tiveram melhora e tivemos um resultado ótimo”, explica o médico.

A estrutura conta com: dois médicos, três fisioterapeutas, três profissionais de educação física, duas enfermeiras, uma psicóloga, uma nutricionista e uma enfermeira de feridas.

Foto: Caroline Sartori

Sobre o centro

Referência nacional, o Centro de Reabilitação Cardiopulmonar Pós-Covid possui uma equipe de profissionais especializados para ajudar os pacientes que tiveram Covid-19 e desenvolveram alguma limitação.

“Os pacientes passam por avaliação e tratamento médico, nutricional, psicológico e físico. Queremos diminuir as sequelas cardíacas, pulmonares e a atrofia muscular, tratar o estresse pós-traumático e garantir o retorno mais rápido às atividades”, explica Fontana.

Redução de casos

Após um ano de início as atividades, o Centro de Reabilitação apresenta uma diminuição de 50% de novos casos para tratamento.  Mesmo com a redução, as atividades no local são realizadas normalmente. “É uma vitória! Grande parte disso é por causa da vacina, que conseguiu diminuir os casos e a gravidade da doença” relata Fontana.

Saiba como funciona o Centro de Reabilitação Pós-Covid-19

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.