Prevenção é a forma mais eficaz de combate ao câncer bucal

Outubro é o mês dedicado à prevenção ao câncer bucal, uma doença que registra 14 mil novos casos por ano no país, matando mais de quatro mil brasileiros a cada 12 meses. Isso faz com que o país tenha a terceira maior incidência de câncer bucal do mundo. A prevenção é a forma mais eficaz de tratamento da doença que, quando detectados na fase inicial, têm de 80 a 90% de chances de cura.

De acordo com o supervisor odontológico da Clínica do Sesi de Orleans, Rodrigo Anselmo Neves, além do exame preventivo e a visita periódica ao dentista, a higienização é uma importante aliada no combate às doenças. “A higiene bucal é fundamental para que possamos evitar as doenças mais comuns da cavidade oral, como cárie e doença periodontal, por exemplo, além de evitar possíveis infecções sistêmicas, que podem comprometer a saúde como um todo”, garante Rodrigo. “Também é importante salientar que aquele paciente que se preocupa com sua saúde bucal, que frequenta regularmente seu dentista, tem maiores chances de ser diagnosticado precocemente com relação ao câncer de boca, e consequentemente, maiores chances de cura”, complementa.

Relação com o dentista precisa iniciar cedo

Quanto antes a criança fizer a primeira consulta ao dentista, mais facilmente irá incorporar hábitos saudáveis em seu dia a dia, e, desta forma, prevenir a instalação dos males bucais. “O recomendado é que a primeira consulta seja realizada entre o primeiro e o segundo ano de vida do bebê. Se possível, os pais não devem deixar que a primeira consulta ao dentista se dê em um momento de dor e emergência. É comum os pais “deixarem para depois” a primeira visita ao dentista, que é quando a criança constrói suas primeiras impressões, e serem pegos de surpresa com imprevistos como quedas batendo os dentes, por exemplo”, explica Rodrigo. “Antes da primeira consulta ao dentista apenas avise que a criança irá conhecer um amigo que ajudará a cuidar de seus dentes. Deixe o resto por conta do profissional que, certamente, saberá lidar com a curiosidade e os medos (se houverem) da criança”, garante.

Clínica contribui para a saúde bucal

Em Orleans, a Clínica do Sesi vem auxiliado na prevenção e tratamento das doenças bucais há 17 anos. “Atendemos especialmente os município de Orleans, Braço do Norte e São Ludgero especialmente com os serviços de clínica para exames ocupacionais e audiometria (específicos para os trabalhadores da indústria), odontologia, farmácia, escola de educação infantil e Escola de Jovens e adultos. Além disso, os trabalhadores da indústria e dependentes contam com preços diferenciados nos nossos serviços”, explica a coordenadora de Operações do SESI de Orleans, Guiomar Cristina Marchesan Bortolotto.

Somente na clínica, em Orleans, nos últimos cinco anos, foram realizadas em torno de sete mil consultas /visitas odontológicas, sendo em torno de 10 mil restaurações, 1.250 extrações, 7.500 mil radiografias, 400 tratamentos de canal e 7.800 mil profilaxias (limpezas). “Nosso objetivo é diminuir cada vez mais os procedimentos invasivos e curativos, como extrações e restaurações, e aumentar nossos atendimentos preventivos, cuidando realmente da saúde das pessoas e não da doença”, finaliza Rodrigo.

Saiba mais:

Como o câncer bucal pode ser prevenido?

Através do autoexame, hábitos corretos de higiene bucal, orientação e assiduidade no cirurgião dentista, e eliminando os fatores de risco como:

– Tabaco: de acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% dos pacientes diagnosticados com câncer de boca eram tabagistas. O cigarro representa o maior risco para o desenvolvimento dessa doença, e o risco varia de acordo com o consumo. Ou seja, quanto mais frequente for o ato de fumar, maiores serão as chances de desenvolver câncer de boca;

– Etilismo: o consumo regular de bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver câncer de boca. A associação entre cigarro e bebidas alcoólicas aumenta muito o risco para câncer de boca;

– Vírus HPV: Pesquisas comprovam que o vírus HPV está relacionado a alguns casos de câncer de boca (sexo oral sem proteção);

– Radiação solar: A exposição ao sol sem proteção representa um risco para o câncer de lábios.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.