Musicando | por Jef Domingos: Moriel conta histórias inéditas do Dazaranha

Nesta primeira edição do Musicando vou trazer uma entrevista com o meu amigo Moriel Costa. O guitarrista, compositor e vocalista do Dazaranha vai contar um pouco sobre a história da banda manezinha, desde a origem até os primeiros shows no Sul do Estado e os projetos para o futuro.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Conta um pouco da história do Dazaranha, como tudo começou?

A Banda Dazaranha é de Florianópolis, nasceu em 1992, entre os bairros João Paulo e Itacorubi. Os irmãos Moriel, Geri e Gazu se juntaram com Zé Caetano, Adalto, Chico e Fernando, que começaram a tocar em uma caixa d’ água ao lado de um cemitério.

Ali surgiram as primeiras músicas autorais, que era a proposta da banda. Nas letras falamos sobre a região, o povo e seus costumes em um estilo musical Reggae, Rock, Baião e Olodum. Fazendo aquela mistura de som que caracteriza o Dazaranha, da música clássica a capoeira.

O primeiro show da banda foi no bairro Santa Monica, em uma associação, A Cojar, onde a banda convidou alguns amigos para prestigia-los. Depois desse show começamos a nos apresentar em vários bares da cidade, como: Berro D’ água, Barzim e muitos outros. Com uma estrutura muito simples, aos poucos os pequenos bares não estavam mais comportando o público, que conquistamos. A banda começou a crescer cada vez mais e foi durante essa época que lançamos o primeiro álbum: Seja bem Vindo.

Você lembra qual foi o primeiro show do Daza em Criciúma? 

Foi após um convite para se apresentar na região Sul, em Araranguá, que o Dazaranha começou a ser conhecido em Santa Catarina. O Dazaranha passou a ser uma banda de Santa Catarina quando começa a tocar em Criciúma.

Daza e Tribo de Jah na Extasy como era? 

Em Criciúma o Dazaranha já dividiu palco com grandes nomes da música brasileira, Tribo de Jah, Barão Vermelho, e muitas outras bandas. Através desses eventos em Criciúma e região que o Daza teve essas grandes oportunidades. Criciúma é a capital do Dazaranha, junto com Floripa.

Como surgiu o nome Dazaranha?

É uma história interessante e marcante no início da banda foi que o nome Dazaranha foi dado por uma amiga da banda, de Araranguá, a Luciana. Ela que criou esse nome, porque ela iria montar uma banda de meninas que não deu certo. Então, a Lu deu esse nome para a banda.

Quais os projetos do Daza perante o novo cenário da música?

Atualmente, estamos com o Rick Bonadio, do estúdio Midas, de São Paulo. Ele é um dos maiores produtores de música no Brasil. O nosso projeto é para produzir aproximadamente 28 músicas em um período de quatro anos. Nesse projeto, a ideia é expandir a nível nacional junto com a equipe do Midas. Mas, perante esse senário que estamos vivendo, nós estamos distribuindo nossas músicas e nosso conteúdo por meio das redes sociais.

Manda uma mensagem para os fãs do Dazaranha.

Nossos fãs é que nos fazem existir. É o nosso impulso, nos fazem brilhar, nos fazem acender e através de suas atitudes legais eles nos transferem coisas boas. Quando os fãs cantam nossas músicas sentimos que tudo o que nos fizemos e tudo que passamos para chegar até aqui valeu muito a pena. Porque nos queremos transmitir nossa alegria, fazer eles cantar, dançar e curtir o que a de melhor nessa vida maravilhosa.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.