Em nota, Sindiceram fala sobre a falta de acordo com o Sindicato dos Ceramistas

Sobre a falta de acordo na Audiência de Conciliação do processo de Dissídio Coletivo entre o Sindicato das Indústrias de Cerâmica de Criciúma e Região (Sindiceram) e o Sindicato dos Trabalhadores Ceramistas no Tribunal Regional do Trabalho, em Florianópolis, na tarde de ontem, 23, o presidente do Sindiceram, Otmar Josef Muller enviou uma nota falando sobre o assunto.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

O texto informa que, ao longo de quatro horas, não houve avanço nas negociações, sendo que, os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Ceramistas, além de não reconhecer a terceira proposta do Sindiceram apresentada no último sábado dia 20, insistiram a também não acolher outra alternativa, como substituir o abono de férias pago pelas empresas unicamente aos trabalhadores filiados ao sindicato laboral, por um aumento real para todos funcionários da categoria.

“Frustrada mais esta oportunidade de conciliação haverá continuidade no julgamento do processo de dissídio de greve, sendo possível haver uma sentença do TRT no início da próxima semana. O Sindicaram se mantém aberto à negociação”, diz a nota.

Leia na íntegra:

“Ocorreu na tarde de ontem, terça feira, nova etapa da negociação salarial dos trabalhadores das indústrias de revestimentos cerâmicos, novamente com a interveniência do Tribunal Regional do Trabalho de SC, agora em audiência de conciliação na Ação de Dissídio de Greve. Também desta vez, mesmo com o empenho da Desembargadora Dra. Tereza Regina Cotosky e do Procurador do MPT Dr. Alexandre Freitas ao longo que quatro horas, não houve avanço nas negociações. Os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Ceramistas, além de não reconhecer a terceira proposta do SINDICERAM apresentada no sábado dia 20/fev, insistiram a também não acolher a alternativa sugerida pelas autoridades acima citadas, de substituir o Abono de Férias, pago pelas empresas unicamente aos trabalhadores filiados ao sindicato laboral, por um aumento real para todos funcionários da categoria. Frustrada mais esta oportunidade de conciliação haverá continuidade no julgamento do processo de Dissidio de Greve, sendo possível haver uma sentença do TRT no início da próxima semana. Antes disto, as empresas representadas pelo SINDICERAM se mantém abertas à negociação, em termos condizentes com o ambiente econômico atual e as legislações vigentes.
Ontem à noite, no horário de troca de turnos da Eliane em Cocal do Sul, dirigentes do sindicado laboral organizaram piquetes nas diversas portarias das fábricas na tentativa de convencer os trabalhadores a aderir ao movimento de greve. No entanto não lograram êxito. Todos trabalhadores do turno noturno entraram e acessaram seus postos de trabalho, mantendo-se a produção normal em todos os equipamentos da empresa.
Criciúma, 24 de fevereiro 2021”

Saiba mais

Sindicatos dos Trabalhadores e Patronal dos Ceramistas seguem sem chegar a acordo

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.