Em dia de atos contra Bolsonaro pelo país, no Recife manifestações terminam com truculência policial

O sábado, 29, foi marcado por protestos contra o presidente Jair Bolsonaro. Os atos ocorreram em 213 cidades do Brasil, inclusive em Criciúma e do exterior. Com cartazes nas mãos e gritos de palavras de ordem, os manifestantes pediam a saída do chefe do Executivo, mais agilidade na vacinação e o retorno do auxílio emergencial de R$ 600.

Uma carreata foi organizada na manhã desse sábado e atravessou a Avenida Centenário, em Criciúma, com um trio elétrico e veículos com bandeiras e cartazes contrários a gestão do atual governo federal. Os organizadores dizem que ao todo cerca de 420 mil pessoas participaram das manifestações pelo país.

No Recife, Capital de Pernambuco, embora a passeata ocorresse de maneira pacífica, os participantes foram surpreendidos com gás lacrimogêneo e balas de borracha, disparadas pela Polícia Militar na tentativa de dispersar o grupo de manifestantes. Os ataques foram registrados em dois pontos da capital pernambucana. Em um deles, a vereadora Liana Cirne (PT-PE) foi atingida com spray de pimenta. O morador Daniel Campelo, de 51 anos, foi atingido no olho por uma bala de borracha disparada pela polícia.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Levado ao Hospital da Restauração, principal emergência da capital, os médicos constataram uma lesão grave. Ele foi transferido para a Fundação Autino Ventura, onde a equipe médica identificou a perda da visão do olho esquerdo. Os médicos não descartam a necessidade de retirada do globo ocular. Daniel não participava da manifestação. Tinha ido ao centro comprar materiais para adesivar objetos.

O governador de Pernambuco disse que afastou o comandante da Polícia Militar estadual depois que a vereadora de Recife Liana Cirne (PT) afirmou ter sido agredida com gás de pimenta durante protesto. A cena foi filmada por manifestantes.

O governador Paulo Câmara (PSB) publicou um vídeo no qual determina a “imediata apuração de responsabilidade” sobre o caso. Afirmou também que os policiais militares envolvidos no episódio foram afastados. A Corregedoria de Defesa Social instaurou procedimento para a investigação dos fatos.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.