Conheça a tradição das comidas típicas da ceia de Natal

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

A noite de Natal, celebrada na madrugada do dia 24 para o dia 25 de dezembro, é marcada pela reunião entre familiares e amigos, trocas de presentes e, claro, a tão aguardada ceia natalina. Os alimentos típicos da época têm origens diversas que se unem ao toque brasileiro dado às receitas. Ao mesmo tempo que em muitas mesas não falta o peru assado, herdado da América do Norte, em outras tantas a rabanada, copiada dos colonizadores portugueses, é a estrela da vez. Separamos aqui a história de alguns dos alimentos considerados tradicionais para o fim de ano. Caso você queira incluir mais algum, é só colocar a sua opinião nos nossos comentários.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Peru de Natal: Importada dos norte-americanos, a tradição de comer peru no Natal é baseada na cultura do Dia de Ação de Graças nos EUA, quando é o prato principal do cardápio. Mas essa não é a única opção de carne natalina na mesa dos brasileiros. Uma das alternativas é o chester, um frango com o peito mais desenvolvido e, portanto, maior que os demais. Também há o tender, uma peça de presunto defumado de forma arredondada, que costuma ser decorada com cravos da índia, característica do período natalino .

 

Panetone: Entre as diversas explicações para a origem do Panetone está a de que o pão, com frutas cristalizadas e que demandava mais tempo para ser produzido, teria surgido em Milão, quando era servido apenas em eventos especiais. Aos poucos, o produto teria sido popularizado após a comercialização por uma empresa de produtos alimentícios. A receita teria chegado ao Brasil no século XIX, trazida por imigrantes europeus.

 

Uvas passas: Estão presentes em diversos dos pratos natalinos. O uso mais comum é no arroz,  conhecido como arroz à grega, que acompanha as carnes. Também são usadas na receita da farofa natalina.

 

Rabanada

Rabanada: De origem portuguesa, a rabanada é tradicional no dia da Consoada, que acontece em 24 de dezembro.  Feita com “sobras” de pão povilhadas com açúcar, a sobremesa se tornou prato típico natalino. Também há relatos de que seria uma tradição europeia servir rabanada para mulheres que davam à luz, com o intuito de que produzissem mais leite.

 

Nozes, castanhas e avelãs: Frutos secos, típicos dos países nórdicos, podem ser consumidos sozinhos ou em sobremesas. A associação com o Natal está relacionada à época típica de produção das plantas nativas da Europa e da Ásia, que costumavam dar frutos no fim de outono e começo do inverno. Histórias natalinas como a do quebra-nozes, lançada em 1881, ajudaram a popularizar a tradição.

 

Salpicão: O nome do prato seria oriundo da palavra salpicón, comum na culinária mexicana e francesa, e que faz referência ao preparo que leva ingredientes crus e molho. Trata-se de um prato servido em forma de salada, frio. No Natal, a receita que leva batatas, cenoura, frango e outras tantas opções de ingredientes costuma ser incrementada com adicionais como nozes picadas e uvas passas.

 

Por Portal EBC

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#ceia, #Natal, Tradição