Comunidade de Cedro deve ficar sem asfalto por conta de emendas de vereadores ao orçamento

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

A pavimentação do acesso à localidade de Cedro, Rodovia Demétrio Rocha, não tem garantia de ser executada neste ano, como projetou a administração municipal, em virtude de efeitos provocados por emendas implementadas pela Câmara de Vereadores ao orçamento de 2020 da Prefeitura de Maracajá. É possível que parte do trecho receba o benefício e a definição do investimento deve ocorrer nos próximos 30 dias, após conclusão de estudos técnicos. Nova reunião foi agendada para 19 de fevereiro, às 19h.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

As informações foram prestadas pelo prefeito de Maracajá, Arlindo Rocha, em uma reunião organizada pela associação de moradores daquele comunidade, na noite de quinta-feira (23), no salão comunitário. Rocha explicou com detalhes que com as emendas dos vereadores “engessando” o orçamento, fica impedido de fazer movimentações contábeis entre as contas municipais, como ocorreu nos três primeiros anos da administração e em toda história do município.

Economizar nos demais setores da administração e transferir de uma conta para outra, por decreto, seria possível investir na pavimentação daquele acesso, ponderou o prefeito. Essas movimentações contábeis somente são possíveis, a partir das emendas, com projetos de lei enviados à Câmara de Vereadores. Além da possibilidade de rejeição do projeto (como ocorreu com o PL que criava o Procon no município), cada projeto pode tramitar por até 120 dias para ser votado.

Arlindo Rocha reafirmou estar aberto a debates e negociações com os moradores e vereadores em busca de alternativas para que os efeitos das “emendas engessadoras”. Segundo ele, dos R$ 8,2 milhões contraídos de empréstimos, após contratações de obras nos acessos a Espigão da Toca, Encruzo do Barro Vermelho e Garajuva, restam R$ 1,1 milhão e conta com emenda parlamentar da deputada Geovania de Sá no valor de R$ 500 mil. A soma é insuficiente para toda a obra.

A presidente da associação, Cristiane Masiero Rocha, disse que a comunidade continua mobilizada e decepcionada com vereadores. “Conversamos com cada um e prometeram que votariam a favor do vetos às emendas, e na sessão, votaram contra e ainda chamaram dois camburões da polícia, como se fossemos bandidos”. Conforme ela, contatos voltarão a ser feitos com vereadores e moradores, em busca de soluções, que serão discutidas no próximo dia 19.

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#asfalto, #Maracajá, #obras, Prefeitura de Maracajá