Caso Marielle Franco e Direitos Humanos na Ditadura Militar são tratados em evento

Os debates sobre Direitos Humanos estão marcando a semana na Unesc. Nesta segunda-feira, 2, iniciou o Colóquio de História, Política e Poder, que em sua quarta edição vai abordar o tema “Direitos Humanos em tempo de exceção”. O encontro reúne até esta terça-feira, 3, na Universidade, acadêmicos, professores, representantes de movimentos sociais e a comunidade para debater assuntos que envolvem temas atuais como o caso da vereadora do Rio de Janeiro morta a tiros em março de 2018, Marielle Franco, até o período da Ditadura Militar no país.

“Direitos Humanos: Crimes e Resistência” foi o tema que norteou os debates do primeiro dia do evento. Um documentário em homenagem aos 50 anos da morte de Edson Luís foi apresentado na abertura do encontro, que contou ainda com as falas “Direitos Humanos e Estado de Exceção: O caso Marielle Franco”, com a professora doutora da Unesc Fernanda Lima; “A ruína do reitor Cancelier: Julgamento público e abuso de autoridade”, com o estudante de Jornalismo da UFSC João Paulo Mallmann, “Os jovens na esquina democrática: Resistência e denúncia”, com o acadêmico de História da UFRGS, Fábio Augusto Viecili.

Conforme Fernanda, um marco importante para discutir os Direitos Humanos é a Segunda Guerra Mundial. “Diante de um modelo de Estado autoritário foi possível criar leis que permitiam que pessoas matassem outras. Quando a guerra acaba, o cenário internacional precisa se reorganizar para impedir que os estados nacionais praticassem atrocidades contra seus indivíduos. A partir disso foi surgindo uma série de instrumentos jurídicos de proteção aos seres humanos”, afirma.

A professora enfatizou que no Brasil, o estabelecimento de direitos por meio da Constituição Federal foi conquistado através de muita luta, principalmente dos movimentos sociais da época. “Ao mesmo tempo em que percebemos a importância desses movimentos, vamos perceber que a tradição dos Direitos Humanos é insuficiente para garantir na prática os nossos direitos. Por isso vemos várias violações ocorrendo em nosso país. Temos exemplos diários de situações ocorrendo com mulheres, negros, índios, pessoas com deficiência”, salienta.

Nesta terça-feira, 3, o encontro terá como tema “Direitos Humanos em tempo de exceção. “Os debates girarão em torno dos assuntos: “A resistência contra crimes da Ditadura e o trabalho de Derlei de Lucca: Silêncio, memórias e esquecimento”, com a professora doutora Andréia da Silva Daltoé e “Trabalho e Direitos Humanos na Ditadura Militar”, com o acadêmico Erick Martignago Dagostim.
O evento é realizado pelo curso de História da Unesc, pelo Centro Acadêmico de História Edson Luís e pelo Cedoc (Centro de Documentação e Memória da Unesc).

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.