Candidato morto é eleito, cobra em local de votação e outras situações inusitadas das eleições 2020

 No domingo, 15, brasileiros foram às urnas para votar no primeiro turno das eleições municipais de 2020. E, durante o dia, uma variedade de situações peculiares foi registrada nos locais de votação e também nos resultados, com um candidato morto na véspera do pleito sendo eleito. Parece mentira não é mesmo?! Mas não é! Senta que lá vem história, e hoje no mundo maluco da política, e se tratando de 2020, tudo fica ainda mais bizarro.

 

Em uma cidade mineira, o prefeito foi reeleito – mas morreu na véspera das eleições

Antônio Claret Mota Esteves morreu na véspera da eleição, mas foi reeleito em Passa Quatro (MG) — Foto: Reprodução/Partido Verde

O atual prefeito e candidato à reeleição que morreu na véspera da eleição foi escolhido por 60,8% dos eleitores e acabou reeleito, no domingo,15, em Passa Quatro (MG). O Partido Verde fez a solicitação para a substituição do candidato antes do início das votações, mas como as urnas já estavam lacradas, não houve tempo para substituição do nome e da foto de Antônio Claret. Desta forma, o candidato apareceu nas urnas. A Justiça Eleitoral ainda irá avaliar o pedido.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Claret estava internado havia duas semanas após sofrer infarto e veio a óbito na noite de sábado, 14. Ele foi o prefeito eleito mais novo da história de Passa Quatro, aos 28 anos, no ano de 1986. Ele ainda foi vereador, presidente da Câmara, vice-prefeito e prefeito em duas ocasiões.

 

Em uma cidade de Santa Catarina, a votação foi interrompida por uma cobra

Uma cobra em uma seção eleitoral no Oeste de Santa Catarina fez a votação ficar suspensa por alguns minutos na manhã de domingo, 15. O Corpo de Bombeiros foi chamado por volta das 8h30 para retirar uma cobra que estava na seção 152, que fica na sala 4 da Escola Nery Barbosa Giachini, em Xanxerê. Os bombeiros fizeram a captura do réptil, que tinha cerca de 40 centímetros e estava bastante agitado. Após a captura, o animal foi solto em mata nativa. Ninguém ficou ferido.
Nas redes sociais, internautas fizeram brincadeiras com a situação: “A sogra do candidato foi votar também”, comentou uma jovem. “Coitada, ela só foi fazer a parte dela e votar”, brincou outra internauta. “As cobras sendo protagonistas em 2020”, escreveu outro internauta em referência à naja de Brasília, que picou um traficante de animais.

 

Uma idosa viralizou ao ser fotografada votando enquanto estava deitada em uma maca

Marta Angélica de Almeida, que usa muletas por causa de uma cirurgia no joelho, chegou ao local de votação pouco antes das 8h. Ela estava subindo a rampa de acessibilidade quando sofreu uma queda. Uma equipe do Samu foi chamada e prestou socorro à mulher. Como foi verificado que ela tinha saúde estável, a equipe médica colocou a eleitora sobre a maca e a levou até a seção dela para que ela pudesse votar. Ela contou que está em processo de se aposentar e que foi votar porque ficou com medo de, caso ela faltasse, isso pudesse interferir no processo de aposentadoria. O caso ocorreu no Colégio Aliomar Baleeiro, no bairro de Pernambués.

 

No TO, prefeito se reelegeu por UM voto de diferença

Atual prefeito de Barrolândia concorreu sozinho ao mesmo cargo

O candidato Adriano Ribeiro (DEM) matematicamente foi reeleito prefeito de Barrolândia, na região central do Tocantins. Ele era o único candidato na disputa e foi declarado vencedor assim que a apuração começou porque precisava de apenas um voto para ser eleito.

Mas engana-se você se acha que este foi o único munícipio do qual contaram com um único candidato. Foram mais de 100 cidades com um único candidato a prefeito na ‘disputa’ neste ano.

Em Barra Bonita, pequena cidade de 1,6 mil habitantes no extremo-oeste de Santa Catarina, o próximo prefeito pode ser eleito com apenas um voto, o dele mesmo. Menor município catarinense, Santiago do Sul, também no Oeste, é outro que teve apenas dois candidatos polarizando a disputa. São 1,2 habitantes na cidade segundo o IBGE, mas curiosamente o número de eleitores cadastrados no TRE é maior: 1,4 mil.

Pela legislação eleitoral, o candidato único precisa ter 50% dos votos válidos mais um para ser considerado eleito. Como votos brancos e nulos não contam como válidos, na prática o candidato precisa de um só voto para se eleger, que pode ser o dele mesmo.

 

Enquanto no Paraná, registraram empate usando o critério de desempate por idade

 


Os candidatos Rita de Cássia (PSD) e Edmilson (PL)

Duas cidades do interior do Paraná – Kaloré e Quinta do Sol – tiveram disputas acirradas nas eleições do último domingo. Em Quinta do Sol, o pleito foi decidido por apenas um voto. Em Kaloré, por outro lado, os dois principais candidatos receberam o mesmo número de indicações, fazendo com que a decisão seguisse o que estabelece o Código Eleitoral, elegendo o mais velho.

Com população estimada em cerca de quatro mil pessoas, Kaloré registrou 1.186 votos para Edmilson e Ritinha. Dessa forma, os candidatos terminaram empatados. De acordo com o artigo 110 do Código Eleitoral (Lei 4.737, de 1965), em caso de empate, “haver-se-á por eleito o candidato mais idoso”. Como Edmilson tem 59 anos contra 42 de Ritinha, ele foi eleito prefeito de Kaloré, localizado a 380 kms de Curitiba.

 

Homem é detido por escrever número de candidato na tela da urna
Um idoso de 80 anos, que não teve o nome divulgado, foi detido após escrever com uma caneta o número do candidato em que votou na tela de uma urna eletrônica. A situação aconteceu em São João das Duas Pontes (SP). Para polícia, o idoso contou que se confundiu na hora de votar e assinalou com a caneta nos quadrados da urna o número do candidato. Ele foi levado para delegacia para fazer registro e depois liberado. O equipamento foi limpo e não precisou ser trocado.  A Justiça Eleitoral pediu para os eleitores levarem sua própria caneta para assinar o caderno de votação, por causa da pandemia do coronavírus.

 

Este eleitor criou um “tanque à prova de Covid-19”

O baiano Jacknes Lima, de 46 anos, saiu de casa no domingo pela primeira vez, desde 20 de março para votar em Feira de Santana, cidade a cerca de 100 quilômetros de Salvador (BA). Para continuar em segurança, ele adaptou sua cadeira de rodas para criar uma espécie de “tanque à prova de Covid-19”. Lima possui atrofia muscular espinhal (AME), uma doença degenerativa que atinge os neurônios e afeta os movimentos. Para montar seu “tanque”, o eleitor colocou um guarda sol e uma lona de plástico em volta da cadeira de rodas. Segundo ele, não havia possibilidade de faltar nestas eleições.

 

Cidadania exercida: 108 anos e presente

A eleitora Maria Antônia Vaz, de 108 anos, votou às 7h30, acompanhada da filha e da neta, em Pato Branco, no sudoeste do Paraná. Conhecida na cidade como vó Antônia, a eleitora centenária vota desde 1988, quando fez o título e passou a ter eleições em Mariópolis, no interior do estado.

 

Cavalete de madeira

A eleitora piauiense Ester Reis, de 66 anos, superou a dificuldade de locomoção que possui por conta das complicações de um aneurisma cerebral para conseguir votar em Teresina. Para chegar à sua seção eleitoral, Ester contou com auxílio de um andador fabricado de madeira e improvisado para ajudá-la nestas eleições. “Acho importante votar. Que haja melhora no nosso estado”, disse.

 

Conheça os candidatos com os nomes mais curiosos das eleições deste ano

Se não bastasse as situações curiosas no dia da votação, há também nomes curiosos de candidatos. Mas quem são essas pessoas? Por quê optaram por usar esses nomes e não seus verdadeiros?

A lei eleitoral diz que “o nome para constar da urna eletrônica terá no máximo 30 caracteres, incluindo-se o espaço entre os nomes, podendo ser o prenome, sobrenome, cognome, nome abreviado, apelido ou nome pelo qual o candidato é mais conhecido, desde que não se estabeleça dúvida quanto a sua identidade, não atente contra o pudor e não seja ridículo ou irreverente”.

As eleições deste ano em Santa Catarina tiveram nas disputas nomes importantes da política e do cenário internacional: Maduro, Donald Trump, Nixon e até Osama participaram do pleito e tentaram se tornar vereadores neste próximo mandato.

Entre os apelidos (no mínimo) curiosos utilizados por candidatos, estão desde funções exercidas, instituições e alcunhas “carinhosas” — até algumas que remetem a personagens como esses citados acima.


Entre as candidaturas registradas a vereador, não restam dúvidas que a que mais chama atenção é a de João Sá Teles Santana, ou melhor, “Donald Trump Bolsonaro”. O candidato do Partido Social Liberal (PSL) é fã declarado dos presidentes dos Estados Unidos e do Brasil. Ele acredita que associar seu nome a dois dos políticos mais populares de direita poderia alavancar sua candidatura, fazendo com que as pessoas se sintam identificadas.

Antônio Carlos Weidgenant já é conhecido há muito tempo como Gargamel. Seu objetivo, na verdade, era ser candidato a prefeito. Porém, seu partido, o PSL, optou por não lançar concorrentes ao cargo máximo do executivo brusquense. Ele também optou pelo nome de Bolsonaro por se identificar com os ideais do presidente.

Proprietário do Canal 24 Horas, o comunicador Ernani Donizeti de Godoy lançou-se candidato a vereador pelo Podemos. Mas afinal, por quê ele tem esse apelido? “Veio na época de criança, nunca gostei de brigas e jogávamos futebol todos os dias. Dependendo onde a gente jogava, se nosso time ganhava a partida, era briga na certa. Eu segurava a onda e a galera que gostava de briga falava: ‘tu és um banana, vamos brigar com esses caras’, aí o apelido pegou”, relembra. Ele foi candidato a Deputado Federal em 2018, mas acabou não sendo eleito.

Valdeci Domingos Fumagalli é conhecido por todos como Balaio. Ele trabalha há mais de 40 anos como músico, produtor artístico e empresário. O apelido surgiu na época em que ele tocava em uma banda. “Um companheiro em um dos shows me chamou de Balaio em tom de brincadeira, o apelido acabou ficando e durou até os dias atuais”, explica. Ele crê que o uso de apelidos por parte de candidatos em eleições é algo comum, pois muitas pessoas são muito mais conhecidas pelo público através de seus apelidos do que pelo nome de registro. É a primeira vez que ele concorrerá a um cargo público.

No Rio de Janeiro, os nomes vão do âmbito religioso, atravessam o mundo animal e chegam no culinário. Um pré-candidato do Partido Progressista (PP) que aposta no codinome diferente é Aralton Nascimento Lima Junior, que tentou vaga na Câmara de Vereadores do munícipio. Ele encontrou uma forma de encurtar sua identificação em seu nome de urna e se auto intitulou, um tanto imodesta, como ‘Advogado de Deus’.

Claudio Manuel Marques de Santa também está surfando na onda das celebridades. O ‘Chimbinha’, mas não o antigo guitarrista da banda Calypso, tentou uma vaga na Câmara de Vereadores de Queimados pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Em Florianópolis, até a interjeição “uhull!” foi usada. Em Joinville, Papai Noel vai concorrer pelo partido Solidariedade (parece óbvio, não?), e Maguila tentará uma cadeira como vereador. Em Blumenau, Amélia Crocheteira e Osama buscarão os votos dos eleitores, enquanto em Brusque estão os peculiares Donald Trump Bolsonaro e Gargamelbolsonaro. Galvão Bueno, Ratão da Academia, Prefeitão. Confira os nomes curiosos de candidatos nas Eleições 2020 em SC e nas cidades de outros estados.

Florianópolis

Baiano da Gelada (PCdoB)
Chaleira (PSDB)
Gilberto Júnior Vídeo no Avião (Patriota)
Miranda Uhull (Cidadania)

 

Joinville

Alvaro Papai Noel (Solidariedade)
Besouro (PSOL
Giselle Torcedora do JEC (PROS)
Joinvilense da Silva (PMB)
Maguila (PL)

 

Blumenau

Baixinha (PP)
Osama (Patriota)
Amélia Crocheteira (PL)
Érica Popular Espiga (PP)

 

Brusque

Donald Trump Bolsonaro (PSL)
Anjinha (PSDB)
Bier (MDB)
Padre (PRTB)
Gargamelbolsonaro (PSL)
Negona do Povão (PV)
Soneca (Podemos)

 

São José

Léo Zeus (PDT)
Marcondes Galvão Bueno (DEM)
Ratão da Academia (Patriota)

 

Itajaí

Ana Irmã do Mário (PSL)
Bakana Solidário (Patriota)
Joel do Pastel (PSB)
Mestre Careca (SD)
Prefeitão (PSB)

 

Balneário Camboriú

O Pensador Henrique (Republicanos)

 

Criciúma

Chaminé (PSDB)
DJ Fusca (PL)
Hulk (PSL)
Seu Santo (PSL)

 

Lages

Nixon (Podemos)

 

Palhoça

3355392 (PSC)
80 do Passa Vinte (PSC)
Gaúcho do Pão (PSC)

 

Tubarão

Chocóca (Republicanos)
Chumbinho (PSD)
Maduro (MDB)
Solange Anãzinha (Cidadania)

 

Acre

Chega Mais (PSol) – Tarauacá

 

Bahia

Tchaka Tchaka (PT) – Baixa Grande

 

Minas Gerais

Dudu Cremoso (MDB) – Araújos
Itamar Boi (MDB) – Araújos
Gordinho da Usina (PP) – Bambuí
Pé de Pato do Lixo (Pode) – Bambuí
Adriano Pirulito (DEM) – Cana Verde
Dilma do Povão (PTC) – Dores de Guanhães
Ferreira do Suvacão (Patriota) – Dores de Guanhães
Enia da Toca da Onça (PSL) – Gouveia
Quinzinho da Água Parada (PSL) – Gouveia
Pipi de Jorge (PSD) – São Gonçalo do Rio Preto
Agenor Passa Régua (Avante) – Tarumirim

 

São Paulo

Alexandre Pires Pica Pau (Cidadania) – Aluminío
Donizete Gato Preto (PDT) – Alumínio
Zé Perninha (PSDB) – Analândia
Angela do Zé Rolinha (Pode) – Guaimbê
Pool (Cidadania) – Alumínio
Tôto da Center Musiky (PDT) – Araçoiaba da Serra
Chupeta (PSDB) – Arealva
Dr. Sobrancelha (PCdoB) – Campinas
Motorista Misericórdia (Avante) – Campo Limpo Paulista
Trufa do Cachorro Quente (Cidadania) – Catiguá
Bobó Baiano da Oficina (Pros) – Cosmópolis
Ney da dupla Rud e Ney (PSB) – Ibaté
Xuxa da Capela (PTB) – Ipuã
Sandro Mil Grau (PSD) – Mairiporã
Kbça (PMN) – Salto
Aladim (PSDB) – Mairiporã

 

Rio de Janeiro
Tadeu Tô Contigo (Republicanos) – Campos dos Goytacazes
Alessandro Fuscão (Republicanos) – Campos dos Goytacazes
Léo Pelanca (PSC) – Italva
Valéria Minha Prima (PSD) – Maricá
Advogado de Deus (PP) – Rio de Janeiro
Capitã Cloroquina (Avante) – Rio de Janeiro
Sallim Solução Amor no Coração (Avante) – Rio de Janeiro
Clenilton Pega Leve (PSL) – Aperibé
Borracha Neles (DEM) – Araruama
Ziel o amigo fiel (PP) – Araruama
Cabeça (PL) – Rio de Janeiro
Edi Só Vitória (PSC) – Rio de Janeiro
Lorena A Morena do Açaí (PROS) – Rio de Janeiro
Salomão Superação (PODE) – Rio de Janeiro
Magal Um Cara Legal (DEM) – Guapimirim
Zé Gotinha (Republicanos) – Guapimirim
Soldado do Povo (PMB) – Magé
Boneco – (PMN) – Magé
Dias Melhores Virão (PMB) – Queimados

 

Sergipe

Diazepam (PSDB) – Aracaju
Mãe Gorda do Povo (PSDB) – Aracaju

 

De casos inusitados à nomes de candidatos um tanto curiosos, essas eleições assim como o ano de 2020 foi atípica, mas eu sempre vi as eleições como uma entrevista de emprego, do qual o candidato à vaga está disputando a oportunidade de comandar minha empresa, e como qualquer dono de uma empresa eu gostaria muito de não ser enganada, e que eu possa confiar e que fará dar frutos, dessa gestão temporária. Então desejo demais aos candidatos eleitos que cumpram com seu dever, e honrem a oportunidade que lhe foi dada, uma vaga tão cobiçada por tantos, não nos decepcionem.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.