Programa Acolher: novo espaço para a atenção à saúde mental

As necessidades dos estudantes da Unesc voltadas à saúde mental passam a ser observadas sob novo olhar a partir de agora. Isso porque a Universidade lançou o programa Acolher, ação que oferece atendimentos gratuitos realizados por profissionais das áreas de Psicologia,  Enfermagem e Psiquiatria, quando necessário, aos alunos de graduação, pós-graduação e do Colégio Unesc. O lançamento oficial do projeto contou com a presença de colaboradores, professores, alunos e toda a equipe de reitoria da Instituição no hall do Bloco Administrativo.

Entre em nosso grupo e receba as notícias n o seu celular. Clique aqui

Conforme o coordenador do programa, Zolnei Vargas, por meio do projeto os alunos receberão atendimentos com acolhimento, orientação e aconselhamento, prevenção e promoção à saúde mental, psicoterapia breve e estendida, grupos operativos, terapêuticos e psicoterápicos. “Os casos que necessitam desse acolhimento serão identificados por professores, coordenadores, colaboradores de diversos setores ou pela demanda espontânea do aluno que venha a procura do serviço”, salientou.

Entre as ações preparadas, de acordo com Zolnei, estarão ainda atividades voltadas ao gerenciamento do tempo e agenda do aluno, reflexões sobre a vida acadêmica e questão do cotidiano que lhes causam preocupação, psicoeducação sobre o autocuidado, rodas de conversa, palestras e eventos sobre saúde mental.

De acordo com a pró-reitora Acadêmica da Unesc, Indianara Reynaud Toreti, a demanda da necessidade de um olhar diferenciado para as questões já vinha sendo discutida há meses sob provocação da reitora Luciane Bisongin Ceretta diante do conhecimento dos mais variados casos de sofrimento. “São situações que vão desde a ansiedade com um Trabalho de Conclusão de Curso, alguma situação em sala de aula e até problemas mais graves envolvendo depressão. Nosso desejo, então, era que a Universidade tivesse essa porta de acolhida para os estudantes e foi para isso que lançamos o projeto Acolher”, pontuou. Os desafios, de acordo com Indianara, são muitos, mas serão superados à medida que o projeto for levado adiante.

Após meses de planejamento e trabalho para a criação de um projeto completo, conforme a reitora da Universidade, é uma emoção lança-lo oficialmente. “Vê-lo acontecendo, na sua estruturação e cumprindo sua missão nos aquece ao coração e dá significado ao que fazemos todos os dias”, destacou.

Oferecer uma porta para o acolhimento profissional com a segurança dos encaminhamentos necessários, para Luciane, faz parte do objetivo de envolver os alunos em uma vida acadêmica saudável e em projetos de felicidade. “Quem convive no dia a dia com os nossos acadêmicos deve perceber a necessidade da escuta qualificada, para além do que nós, mesmo com toda a vontade de ajudar, podemos oferecer. A equipe do Acolher tem a sensibilidade e a prática clínica para cuidar do bem mais precioso do nosso estudante, que é a vida dele, a alegria dele, o seu projeto de felicidade”, completou.

Em nome dos acadêmicos, o presidente do DCE (Diretório Central dos Estudantes), Alexandre Bristot, destacou seu agradecimento à Instituição pela atenção voltada à saúde mental do estudante. “Desde que assumimos a gestão do DCE nós conversamos sobre isso, sobre a importância da atenção ao assunto e hoje vemos esse programa sendo colocado em prática como mais um ato dessa gestão que tem se mostrado muito competente e preocupada”, destacou.

Os atendimentos do Acolher ocorrerão de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13 às 21 horas, na sala 34 do Bloco Administrativo. O novo espaço voltado aos atendimentos foi inaugurado também nesta terça-feira, na sequência do lançamento do projeto.