Não esqueça de se vacinar contra a gripe

A Campanha de Vacinação contra a Influenza H1N1, H3N2 e B já imunizou 30,54% dos criciumenses que fazem parte dos grupos prioritários. Foram 11.353 doses aplicadas nas 39 Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município que dispõem de sala de vacinação. Os dados são dos 12 primeiros dias da mobilização, completados na última sexta-feira

Conforme a enfermeira coordenadora do Programa de Imunização da Vigilância Epidemiológica, Patrícia de Carvalho, Criciúma está acima da média nacional, que atingiu 20,89% do público-alvo da campanha. “Nossa maior atenção é em relação às crianças. A faixa de seis meses a menores de 5 anos sempre exige mais atenção. A criança não vai ao posto sozinha, precisa de um adulto e as salas de vacinação estarão abertas no Dia ‘D’ da campanha e vão dar oportunidade aos pais que trabalham ou estão ocupados durante a semana”, ressalta a enfermeira.

A mobilização nacional, Dia ‘D’, será no próximo sábado quando todas as unidades estarão abertas para receber a população. “Sábado será o dia da mobilização nacional. Depois dessa data conseguimos fazer uma análise mais detalhada de quantas pessoas já foram imunizadas e onde devemos focar na divulgação e conscientização”, explica. A meta do município é atingir 90% do público prioritário, e a campanha segue até dia 1º de junho.

Criciúma tem 58 mil moradores que estão no público-alvo da campanha. Os grupos prioritários são portadores de doenças crônicas, pessoas com mais de 60 anos, crianças com idade entre seis meses e cinco anos, gestantes ou mulheres que deram à luz há menos de 45 dias, trabalhadores da saúde, professores, população indígena, adolescentes acima de 12 anos sob medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional.

Público-alvo imunizado em Criciúma:

Crianças de 6 meses a menores de 5 anos: 1.372 doses (11%)

Trabalhadores da saúde: 1.005 (20%)

Gestantes: 519 (24,37%)

Puérperas (pós-parto até 45 dias): 116 (33,14%)

Idosos: 8.341 (45,57%)

Professores: 648 (22,55%)

Crônicos e privados de liberdade: Ministério da Saúde não exige meta

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.