José Gomes Temporão fala sobre os desafios da saúde brasileira

O ex-ministro da Saúde, o professor doutor em Saúde Coletiva José Gomes Temporão, esteve em Criciúma na manhã desta sexta-feira, 23, especialmente para a Aula Inaugural do Mestrado em Saúde Coletiva da Unesc. Médico por formação, ele é uma das referências brasileiras na área e abordou assuntos como a reforma sanitária brasileira, as mudanças no SUS e o cenário nacional da saúde.

“O SUS é a maior política pública que nasceu na sociedade e chegou a política de Estado. Quando você compara saúde e educação e seus macroindicadores e constrangedor. A saúde avançou muito mais que a educação. Temos que ter clareza da importância desse modelo. Ele é forte e tenho certeza que está pulsando ainda no Brasil”, comentou Temporão.

Segundo ele, o SUS é produto uma luta de sanitaristas e da sociedade brasileira e durante sua fala, pontou momentos importantes da reforma sanitária e dos movimentos relacionados à Saúde Coletiva no Brasil e no mundo. “Durante a Ditadura Militar tivemos um incrível movimento da sociedade. Foi nesse caldo de cultura, de ambiente de grande mobilização e inquietação, radicalmente distinto do que estamos vivendo hoje no nosso país, com uma situação de perplexidade, de apatia que ocorreu a mudança no modelo de saúde”.

Em sua palestra, Temporão dialogou com estudantes, professores, profissionais e gestores de saúde sobre os “Desafios da saúde brasileira em um mundo em transformação”. O evento foi realizado pelo PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) e pelo Programa de Residência Multiprofissional da Universidade.

Debate pertinente

 A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, salientou a trajetória de Temporão como defensor da Saúde Coletiva e afirmou que a vinda dele para a Unesc foi uma oportunidade para toda a região refletir sobre a área e o futuro dela. A reitora pontou ainda o trabalho desenvolvido pela Instituição na área. “É um privilégio fazer parte dessa mesa tão eclética e olhar para traz e perceber que os movimentos que foram implantados como o Programa de Residência Multiprofissional o nosso Mestrado em Saúde Coletiva eles produzem muito mais que artigos para engordar a nossa produção científica. Eles produzem interlocução com o cenário de práticas e se fazem interlocuções, fazem transformações. Penso que é isso que uma Universidade Comunitária como a nossa precisa fazer: colocar na prática aquilo que fala”, afirmou a reitora.

A pró-reitora Acadêmica Indianara Becker deu as boas-vindas aos mestrandos em Saúde Coletiva e participantes do Programa de Residência Multiprofissional e chamou a atenção para a relevância do evento. “É de extrema importância porque o papel da Universidade é provocar. Eu espero que nos provoque reflexão de uma temática que não é apenas de profissionais de saúde, mas de todas as áreas do conhecimento porque todos nós utilizamos o Sistema Único de Saúde e somos responsáveis por eles”.

A coordenadora adjunta do PPGSCol, Fabiane Ferraz, elencou a importância da atuação do Mestrado em Saúde Coletiva da Unesc, de caráter profissional. “Ele contribui para o cenário das práticas de saúde ao integrar o ensino e a pesquisa ao espaço de trabalho”.

O evento teve a participação do coordenador do Programa de Residência Multiprofissional da Unesc, Jacks Soratto, do representante do Núcleo de Saúde Coletiva da Universidade, Rafael Amaral, do representante do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde da Amesc, Diogo Copetti, da secretária de Saúde de Criciúma, Francielle Gava.

# José Gomes Temporão, #aula inaugural, #Mestrado em Saúde Coletiva, unesc