Gêmeas sonham alto nas piscinas de Jaraguá do Sul

A famosa citação popular “como unha e carne”, que expressa a forte ligação entre algo ou alguém, pode ser perfeitamente utilizada para as irmãs Maria Fernanda e Maria Eduarda Rosa Silveira. Naturais de Jaraguá do Sul, as gêmeas conheceram a natação aos quatro anos de idade e, desde então, o companheirismo de ambas foi crescendo através do esporte. Hoje, elas nadam lado a lado em busca do sucesso na modalidade.

As meninas iniciaram suas carreiras nas piscinas ainda crianças por iniciativa do avô, que as matricularam na escolinha de natação do Acaraí, depois de sofrer alguns sustos. “Nós sempre gostamos de estar na água, seja na praia ou na piscina, mas nosso avô sempre teve medo de a gente se afogar ou algo parecido, e resolveu nos inscrever na escolinha para aprendermos a nadar”, disse Maria Eduarda. Mas aquilo que começou como uma brincadeira virou uma paixão.

Depois de quatro temporadas participando apenas de campeonatos internos, as jaraguaenses foram chamadas para integrar as equipes de rendimento do município e hoje, aos 14 anos, têm mais de 200 medalhas cada em competições locais e estaduais. “Somos muito amigas e sempre torcemos uma pela outra. A natação faz parte da nossa vida há muito tempo e queremos continuar conquistando muitas medalhas juntas”, declarou Maria Fernanda, especialista nas provas de 100m borboleta, 50m e 100m livre, enquanto sua irmã compete nos 50m, 100m e 200m costas.

Além do talento, as conquistas vieram através de muito esforço. A dupla encara uma rotina pesada de treinamentos semanais, que iniciam na segunda e vão até o sábado durante três horas e 15 minutos no período da tarde, sendo que duas vezes por semana acordam mais cedo para atividades, das 5h30 às 7h, seguindo diretamente para as aulas do 9º ano da escola municipal Albano Kanzler. Toda dedicação ao esporte vem rendendo frutos, já que ambas vivem o melhor momento da carreira e no início deste mês venceram todas as provas em que disputaram nos Jogos Escolares de Santa Catarina, em Blumenau.

Agora, as irmãs têm como os grandes objetivos de 2017 a classificação para as finais do Campeonato Brasileiro e chegar ao pódio dos Jogos Escolares Brasileiros.

Porém, os sonhos não param por aí. Apesar da pouca idade, ambas as nadadoras traçam metas audaciosas para o futuro. “Eu quero ir longe na natação e competir por uma equipe de ponta do país para se destacar ainda mais e quem sabe um dia chegar as Olimpíadas”, destacou Maria Fernanda. “Quero primeiro ter a oportunidade de ir novamente para seletiva internacional, que já fui ano passado, mas também ainda quero disputar uma competição mundial com um nível mais alto”, finalizou Maria Eduarda.

TÉCNICO VÊ POTENCIAL PARA UMA EVOLUÇÃO NA CARREIRA

Atual treinador das gêmeas na AJINC, Ronaldo ‘Kiko’ Fructuozo acompanha de perto as meninas desde os 12 anos, após elas realizarem os trabalhos de iniciação com as professoras Verônica e Iara. Segundo ele, ainda é cedo para falar do futuro das atletas, mas destacou o potencial da dupla para alcançar novos resultados de destaque na natação. “Os treinamentos comigo são para atletas a partir dos 13 anos, mas passei a acompanhar a Maria Eduarda e a Maria Fernanda aos 12 e comecei a fazer um planejamento a longo prazo para elas estarem no seu melhor desempenho, com 17 anos. Espero que elas permaneçam na natação até lá, seja aqui ou em outro lugar, mas vejo que existe uma potencialidade muito grande das duas”, afirmou Kiko.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.