Anúncio

Fumacense Alimentos inaugura museu que conta a história da empresa

Abre as portas para a comunidade a partir desta segunda-feira, 14, o museu da Fumacense Alimentos. Localizado no mesmo endereço da matriz, em Morro da Fumaça, irá resgatar e manter exposta a história de sucesso e evolução dos 50 anos empresa. Escolas, entidades e instituições poderão visitar o local, que estará à disposição para visitas agendadas.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Anúncio

A ideia de criação de um museu nasceu do projeto de resgate da cultura da Fumacense Alimentos, juntamente com a necessidade de implantação de uma loja interna, que oferecesse aos funcionários a oportunidade de compra dos alimentos que são produzidos diariamente nas mais diversas unidades da empresa. O local ainda conta com uma loja exclusiva dos produtos produzidos pelas marcas Kiarroz, RisoVita, Kifeijão e Boby.

“Visitando a fábrica e conversando com nossos colaboradores, vimos muitos materiais antigos e pensamos: por que não construir um museu para guardar tudo isso? Ainda mais que neste ano a Fumacense celebra 50 anos de fundação, então é um verdadeiro marco emblemático para a história”, avalia o gestor Ricardo Regado, que é diretor do Centro de Serviços Compartilhados do grupo econômico EZOS, do qual a Fumacense Alimentos faz parte.

O projeto começou a ser discutido em janeiro de 2020 e, depois de muitas conversas, surgiu a ideia de transformar o que, inicialmente, seria apenas um museu de exposições, em um espaço multiuso, com loja de produtos alimentícios e até mesmo uma cozinha totalmente equipada, para experimentos de novas receitas.

O projeto arquitetônico

Responsável pelo projeto arquitetônico do museu, o arquiteto Mateus Michels conta que toda ideia partiu de uma pesquisa histórica pelos acontecimentos dos 50 anos da Fumacense Alimentos, e que cada detalhe foi escolhido por algum motivo específico.

“Usamos telhas metálicas onduladas para lembrar uma forte característica da indústria cerealista: os silos de arroz. No chão, o concreto que é muito utilizado no próprio chão de fábrica, onde o trabalho é realizado. Em relação às cores, os traços mais fortes vieram do verde, que está presente na própria logomarca da empresa e que remete ao campo, às plantações de arroz”, elenca.

E falando em arroz, por que não o utilizar na decoração? Com objetivo de valorizar as raízes da Fumacense, um caminho com os próprios grãos foi gravado no piso, como base para todos os objetos históricos colocados em exposição.

Com 126 metros quadrados, a estrutura ainda conta com um apelo à tecnologia, por meio de um material audiovisual que conta a história dos 50 anos da empresa, desde 1970 até os dias atuais. Além de uma maquete mostrando todo o processo de produção do arroz, que também foi construída e exposta no local.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.