Ciclone: Estação de Siderópolis registrou ventos de 168,8 km/h, recorde no Estado

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

tempestade e o ciclone extratropical que atingiram Santa Catarina nos dias 30 de junho e 1º de julho, causando estragos em todas as regiões, podem ser analisadas pela rede de estações hidrometeorológicas do Estado, monitorada pelo Centro de Informações e Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Epagri/Ciram). Das 290 estações, cerca de 50 possuem medidores de velocidade e direção do vento e registraram velocidades superiores a 100 km/h, com destaque para a de Siderópolis, no Sul do estado, com ventos de 168,8 km/h.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Segundo a meteorologista Maria Laura Guimarães Rodrigues, cinco das estações registraram velocidades superiores a 118 km/h. Além de Siderópolis, destacaram-se Urupema, na Serra Catarinense, com 126 km/h, e Indaial, localizada no Vale do Itajaí, com 121 km/h. Outras sete estações registraram ventos entre 113 e 117 km/h, e nove delas registraram ventos de 89 a 102 km/h.

Outro aspecto importante analisado pela Epagri/Ciram foram descargas elétricas que acompanharam o ciclone que passou por Santa Catarina. A combinação de vento, chuva e descargas elétricas potencializou os estragos em diversas regiões de Santa Catarina. Os prejuízos foram tanto na área rural, com muitas lavouras afetadas, quanto nas áreas urbanas, com destelhamentos e danos na rede elétrica, além da perda de vidas humanas.

Esse conjunto de informações geradas pela rede de monitoramento ambiental da Epagri/Ciram é fundamental para auxiliar as tomadas de decisões na agricultura e no meio urbano. Os dados podem ser visualizados no Agroconnect, uma plataforma de dados agroambientais que pode ser acessada livremente pela internet.

Município do Sul é o que teve mais impacto na velocidade do vento

Entre os dias 30/06 e 01/07, ventos de mais de 80 km/h foram registrados em boa parte das regiões de SC, ultrapassando os 100 km/h em vários municípios. O evento destacou-se pela ampla área atingida, duração prolongada em algumas regiões e quebra de recorde. A estação de Siderópolis, instalada em 2003, marcou 168,8 km/h entre 05h e 6h do dia 01/07/2020. Até então, o recorde pertencia a Celso Ramos (161,9 km/h em 07/10/2010).

O vento forte causou danos em estações meteorológicas automáticas como em Lages e Urupema. Parte da ampla rede de estações monitoradas pela Epagri/Ciram sofreu interrupção no sistema de transmissão devido a problemas com a rede de telefonia. O sistema aos poucos está sendo restabelecido, e novas informações coletadas nos dias do vendaval, como as da estação de Siderópolis, estão sendo checadas, validadas e disponibilizadas com confiabilidade e veracidade no banco de dados da Epagri/Ciram.

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo
Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo
Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo