Simulado de emergência: campus da Unesc é tomado pelo som do alarme de incêndio na manhã desta segunda-feira

Às 9h30 desta segunda-feira, 25, parte do campus da Universidade foi tomado pelo som do alarme de incêndio. Em questão de minutos, os blocos de A à J e do N ao Q, a Biblioteca, o Museu de Zoologia, os blocos XXI A, B e C, o Bloco Administrativo e o prédio da Reitoria foram totalmente evacuados e os professores, funcionários e acadêmicos, levados para pontos de encontro de emergência. Uma vítima com ferimentos no braço também foi resgatada da Biblioteca. O relato anterior poderia ser real, mas fez parte do simulado de emergência realizado pela Brigada de Incêndio da Unesc, que teve como objetivo treinar os brigadistas e a comunidade acadêmica para possíveis incidentes.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Este foi o segundo simulado de emergência realizado no campus. O primeiro ocorreu em julho de 2018. Uma terceira atividade irá ocorrer em 2020, contemplando os demais blocos da Universidade e também o Iparque (Parque Científico e Tecnológico). Ao todo, a Universidade possui 180 brigadistas e do simulado desta segunda-feira, participaram aproximadamente 60 pessoas, entre brigadistas e profissionais da Inovarum, empresa que presta consultoria para a Universidade na área de Segurança do Trabalho. Para as atividades desta segunda-feira, os brigadistas se dividiram em três equipes (vermelha, azul e rosa).

O simulado foi uma realização do Sesmt (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) da Unesc, em parceria com a Inovarum. Os organizadores classificaram o resultado da atividade como excelente. Na simulação desta segunda-feira, foram envolvidos, além dos brigadistas, mais de 500 alunos, professores e técnicos-administrativos.

Segundo o coordenador do Sesmt, Edson da Silva, a preocupação do Serviço não é apenas com professores, alunos e funcionários, mas com todos que passam diariamente pela Instituição. “São cerca de 10 mil pessoas circulando pelo campus todos os dias e a preocupação é com cada um. O simulado nos ajuda a verificar o tempo resposta e onde estão nossos pontos fortes e onde devemos melhorar”, afirma o coordenador do Sesmt, ressaltando que o próximo passo é fazer um relatório com os dados do evento e analisa-los.

A colaboradora da Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Andréia Borges Bartolomeu, é brigadista desde 2018 e este foi o segundo simulado do qual participou. Para ela, a atividade colabora para aumentar os conhecimentos sobre o modo correto de se agir para evitar ou minimizar riscos e danos em situações de emergência. “Além dos simulados, eu e meus colegas de Brigada participamos de reciclagem de conhecimentos, cursos e capacitações. Tudo isso me faz sentir mais segura para tomar decisões e agir”.

A técnica em Segurança do Trabalho do Sesmt da Unesc, Ana Paula Tiscoski, explica que os simulados de emergência são obrigatórios e estão dentro da IN (Instrução Normativa) 28, que estabelece e padroniza as exigências para as Brigadas de Emergência. Segundo Ana Paula, as simulações fazem parte das ações desenvolvidas pelo Sesmt, que também englobam o Plano de Emergência, elaborados para cada local onde os simulados acontecem.

Durante a atividade, todos os procedimentos foram obedecidos, inclusive o contato com o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Samu. Antes da atividade ocorrer, a organização entrou em contato com a Diretoria de Trânsito e Transporte de Criciúma e a Universidade fez a divulgação do simulado para a comunidade acadêmica e externa.

 

 

Fotos: Milena Nandi

 

#campus, #simulado, incêndio, unesc