[VÍDEO] Senadores batem boca na CPI da Covid e são contidos fisicamente por colegas

Renan Calheiros e Jorginho Mello trocaram acusações, entre gritos de "puxa-saco" e "vagabundo"

A CPI da Covid teve um de seus momentos mais tensos durante a sessão desta quinta-feira, dia 23. Os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), relator, e o senador Jorginho Mello (PL-SC) trocaram acusações, entre gritos de “puxa-saco” e “vagabundo”, e precisaram ser contidos fisicamente pelos colegas parlamentares, que evitaram uma briga pior.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

O tumulto começou quando Renan disse que há corrupção na gestão do presidente Jair Bolsonaro e citou como exemplo o fato de o governo ter feito contratos de compra de vacinas e insumos contra a pandemia com empresas agora investigadas.

Os dois iniciaram um bate-boca, que se intensificou de vez. Jorginho chamou Renan de “ladrão e picareta”. O relator repetiu as mesmas ofensas para o colega. Em meio ao tumulto, Renan se levantou da tribuna para se aproximar de Jorginho, sentado no plenário da comissão. A CPI ainda não havia registrado uma discussão em que senadores se levantaram para tirar satisfações um com o outro.

Formou-se um tumulto em torno dos dois parlamentares. Renan chamou Jorginho de “puxa-saco”. Jorginho rebateu: “Vagabundo”. Demais senadores presentes tiveram que conter fisicamente, até mesmo com abraços, Renan e Jorginho. Com isso, os ânimos aos poucos se acalmaram, Renan voltou à tribuna e o depoimento desta quinta, do empresário Danilo Trento, foi retomado.

Informações: G1

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.