[VÍDEO] Material reciclável se torna produto de alto padrão para a sua casa. Saiba como!

Produtos são considerados um diferencial na construção civil

Que tal colocar em sua casa rodapés feitos de EPS (Poliestireno Expandido), o famoso isopor? Sim, o que para muitos não tem utilidade e serve como lixo, para a Santa Luzia, empresa do mercado de acabamentos para construção civil, localizada em Braço do Norte é matéria-prima e o melhor, o trabalho da Santa Luzia, colabora na preservação do meio ambiente. Com apelo sustentável, cores e design marcantes os produtos são considerados como um diferencial no mercado da construção civil.

A coleta do material é feita por meio de parcerias com mais de 210 cooperativas de catadores espalhadas pelo Brasil, atividade que gera mais de 3.800 empregos e 600 toneladas do produto/ mês, com capacidade de produção de até mil toneladas/mês.

“Existe toda uma estrutura para chegar este material até a empresa e quando chega é transformado em produto final. Somos a única empresa do Brasil neste segmento que realiza este tipo de trabalho”, informa a gerente de Logística e Reciclagem da Santa Luzia, Eliane Morgan.

Para atingir nível de qualidade, são utilizadas técnicas sofisticadas para compactar e transportar o material até a fábrica.  “Uma vez em nosso parque fabril, o maior entre os moldureiros da América do Sul, o material bruto passa por uma triagem. Por se tratar de um material reciclável, pode haver contaminantes que se diluem no poliestireno e que podem comprometer a qualidade do produto. Por esse motivo, o controle de qualidade desde o recebimento da matéria-prima é muito importante”, revela o analista de marketing, Dickson Comeli.

Com as borras formadas, já podemos chamar o material apenas de poliestireno. Para que a matéria prima possa ser limpa, precisamos reduzir o tamanho das borras em processo de moagem. O material moído segue para a peletização, que retém a contaminação do material em telas e transforma em matéria prima. É a partir da extrusão que os perfis decorativos de PS começam a ganhar forma antes do acabamento final.

 Como tudo começou

A Santa Luzia conta com uma estrutura de mais de 18 mil metros quadrados –  Foto: Divulgação

A empresa existe há 77 anos e teve início fabricando espelho, com o passar dos tempos começou a produzir molduras, com a alteração social permitiu a produção e comercialização de perfis decorativos, atendendo no mercado da construção civil, arquitetura e decoração, da indústria moveleira e de molduras de madeira e matéria prima reciclada para quadros.

Em 2002, a Santa Luzia revolucionou sua cadeia produtiva ao substituir 98% da matéria-prima inicial, madeira, pela reciclagem de resíduos plásticos. Hoje o rodapé é o carro-chefe da Santa Luzia, com 95% de sua produção. A empresa ampliou sua linha de produtos e hoje conta com um portfólio bem mais diversificado, comercializados em mais de quatro mil pontos de vendas, em mais de 400 cidades no Brasil, com presença em todos os home centers do País. Cerca de 10% da produção é exportada para vários países, como Argentina, Uruguai, Japão Chile e EUA.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.