[VÍDEO] #CasalDayOFF: Último Day Off antes da quarentena: Tainha na Guarda do Embaú

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

De volta à terrinha no sul de Santa Catarina, descansados pós-trip de 13 mil quilômetros à Patagônia, resolvemos matar a vontade de rever o mar, o sol e assar uma tainha carnuda bem recheada. Em casa tudo fica mais fácil: separar os utensílios necessários para cozinhar na praia, passar no mercado para adquirir os itens faltantes e voilà, prontos para botar o pé na estrada e rumar ao litoral. Exceto pela folha de bananeira que usaríamos para assar o nosso peixe – o restante estava na mão. Mas, o que é uma boa empreitada sem uma aventura pelo caminho? Bora caçar uma durante a viagem!

Optamos pela Guarda do Embaú. Cientes do vento forte que estava soprando naquela manhã (um nordeste de levantar areia e bagunçar o fogo da churrasqueira) – resolvemos esticar um pouco mais para termos uma boa proteção. No caminho, passamos na Peixaria Azul, da querida Débora, na entrada da Praia do Sonho. Sempre que desejamos nos esbaldar em ostras e mariscos frescos e graúdos passamos por lá. Mas desta vez, escolhemos o típico peixe da nossa costa, abundante quando o verão começa a se despedir: uma tainha.

A Guarda é uma praia localizada na divisa entre os municípios de Palhoça e Paulo Lopes, a 46 km ao sul de Florianópolis. É a nona Reserva Mundial de Surf e a primeira do Brasil. Adoramos este lugar. Simples, bem cuidado pelos locais e com uma adorável beleza natural. No centrinho há sempre atrações culturais, venda de objetos artesanais, chopp gelado para o fim do dia e doguinhos andando felizes e tranquilos. Para chegar à faixa de areia é preciso atravessar o Rio da Madre ou fazer a trilha – de nível fácil – costeando o Morro do Urubu por baixo. Na travessia do rio há barquinhos charmosos para quem prefere não se molhar, mas boa parte da galera se joga cruzando a água geladinha com coolers, cadeiras e a criançada nos ombros. Esse é o espírito da Guarda do Embaú.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

A intenção sempre é fazer o nosso rango longe das pessoas, preservando a nossa intimidade e o bem estar de quem está na praia – e que não deseja ser incomodado pela nossa defumação. Escolhemos um cantinho nas pedras mais ao norte, bem acolhidos contra o vento forte e próximo às piscininhas naturais que nos presentearam naquela manhã ensolarada. A receita levou 2 horas para ficar pronta – desde o preparo dos ingredientes até servirmos. Lembrando: sempre muito protetor solar, evitar o sol forte do meio dia, maneirar no consumo de bebida alcoólica – balanceando hidratação e recreação – e recolher todo o lixo que produzir. Vamos à receita?

 

Tainha Recheada com Farofa de Berbigão e Panko Sabor Açoriano

 Farofa de Berbigão

 Berbigão bem lavado

Farinha Panko Sabor Açoriano

Tempero para frutos do Mar Sabor Açoriano

Manteiga

Cebola

Alho

Pimentão Amarelo

Sumo de limão

Verdinhos (curtimos alfavaca, salsa, cebolinha, hortelã e tomilho)

Dose de Vodka ou Conhaque

 

Tainha

 Tempero para Tainha Sabor Açoriano

Tempero para Peixe sem sal Sabor Açoriano

Barbante para amarrar (pode usar palitos também)

Folha de Bananeira (uma grande cortada ao meio para passar duas vezes, senão tosta e resseca a tainha).

Passo a passo:

Na frigideira quente coloque o berbigão lavado e a dose de vodka. Flambe sem deixar tostar. Quando o fogo baixar, adicione: manteiga, cebola, alho, pimentão, sumo do limão, farinha panko e os verdinhos. Com calma, misture os ingredientes. Tome um gole de cerveja para refrescar. A nossa favorita para estes momentos é uma Catharina Sour da Lohn Bier. Leve, frisante e suavemente doce. Volte para a receita. Abra a tainha já pronta para ser recheada e dê um magnífico sabor com tempero tainha e o tempero para peixe. A Sabor Açoriano elabora seus condimentos sem aditivos conservantes ou corantes, deixando-os 100% naturais. Após salgar e temperar o peixe adicione o recheio com a farofa e amarre bem com o fio de barbante. Envelope o bichano com a folha de bananeira por duas vezes, fazendo uma camada dupla. Usamos grelha para peixe para deixar mais firme, mas é possível colocar diretamente na grelha da churrasqueira – basta amarrar as folhas por fora também (mas a experiência ensinou que com grelha para peixe dá menos trabalho). Com a brasa quente, coloque o peixe para assar e vá dar um mergulho no mar. Volte em 15 minutos, vire-a e passe protetor solar. Que tal uma água de coco agora? Passados mais 15 minutos, sempre cuidando para o fogo não levantar demais, dê mais um giro na grelha. E média, entre 35 a 45 minutos ela estará pronta. Escolha uma Lohn Bier para acompanhar essa belezura. Somos fãs das lupuladas para acompanhar as refeições. Uma New Zeeland saciou a nossa sede depois de umas boas abocanhadas na carne suculenta e na farofa crocante de berbigão e panko.

 

Que dia, meus amigos! Após cozinhar, hora de recolher os lixos, arrumar os utensílios e voltar para casa, endorfinados com muita vitamina D, bem alimentados e hidratados. No caminho de volta, calma, música boa e um bom isotônico para repor os minerais. Mais um dia vivos e felizes. Agora, é hora de sossegar em casa, cumprindo o pedido para isolamento até a pandemia baixar. Vamos fazer receitinhas em casa e dividir com vocês lá no nosso perfil: @CasalDayOff  

 

Cuidem-se. Fiquem em casa. #VaiPassar

 

Repasse para seus amigos utilizando os links abaixo

#trip, Casal Day Off, Guarda do Embaú