[VÍDEO] Assassinato de Marielle e de Anderson Gomes motiva protesto em Criciúma

A morte da vereadora carioca Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes, assassinados, na quarta-feira, 14, na Zona Norte do Rio de Janeiro motivou um protesto na Praça Nereu Ramos de Criciúma, no fim da tarde desta segunda-feira, 19. Mesmo com o número reduzido de pessoas, durante o ato, organizado por movimentos sociais e sindicais da região, os discursos se voltaram para a indignação quanto a violência e insegurança no Brasil. Flores, cartazes, faixas e velas também foram levadas.

“Sejamos uma, duas, três ou até quatro pessoas. Não importa quantos sejamos, nós vamos continuar nas ruas. Este ato aqui serve para que a gente continue gritando, lutando, ganhando as ruas sem ter medo de fazer isso. Mesmo longe, a morte dessa vereadora nos deixa indignados, pois a bala teve destino foi para calar a sua boca. Até quando? ”, questiona a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Criciúma (Siserp), Jucélia Vargas.

Jucélia conta que conheceu a vereadora, no ano passado no Rio de Janeiro, durante uma frente que lutava contra a “PL da Mordaça”. “Marielle era uma das pessoas que estava acompanhando essa luta”, recorda Jucélia.

“Acredito que algumas pessoas devam estar questionando por este protesto ter sido realizado aqui em Criciúma, sendo que o crime aconteceu no Rio de Janeiro, que não considero tão longe de nosso Estado. Mas acredito que com certeza abalou o sentimento de muitas mulheres, pois a Mirelle era uma pessoa que estava tentando buscar um mundo diferente para onde ela vivia, sendo mais uma mulher na estatística da violência”, lamenta a professora aposentada, Márcia Mendes, que estava presente no ato.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.