Utilização da energia solar nas áreas rurais avança no Brasil

O número de residências, edifícios e empresas que desejam gerar sua própria energia utilizando sistemas fotovoltaicos vem crescendo exponencialmente há algum tempo. Mas, outro setor encontrou na tecnologia a solução para fugir da instabilidade das tarifas de energia elétrica e alcançar sua independência energética: o campo.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), 747 consumidores rurais são cadastrados no sistema como produtores de energia limpa a partir do sol. Isso representa 12,2 Megawatts de energia distribuída, que é 5,4% de toda a potência instalada no país.

“Assim como os consumidores residenciais ou comerciais, os produtores rurais que optarem por gerar sua própria energia, podem fornecer a energia excedente ao sistema elétrico nacional, gerando créditos energéticos que podem ser utilizados por até 60 meses, na própria unidade geradora ou em outras unidades consumidoras, desde que estejam cadastradas no mesmo CPF ou CNPJ e sejam atendidas pela mesma concessionária de energia”, explica a engenheira de energia, Mariana Guerra, diretora da empresa União Energia.

Ainda segundo a engenheira, considerando a energia solar como um investimento, o agricultor que instalar o sistema desfrutará de diversos benefícios, sendo o principal deles a economia na conta de luz que pode chegar a até 95% na conta de energia, pagando somente a taxa mínima de disponibilidade de rede. “Além disso, alcança-se a independência energética da propriedade através do uso de uma energia limpa e renovável, gerando uma valorização do imóvel e do produto produzido pelo agricultor”, destaca.

No ponto de vista do presidente executivo da Absolar, Rodrigo Lopes Sauaia, acima de todos estes benefícios citados, está a previsibilidade dos custos com a energia elétrica nos próximos 25 anos, que é o tempo de vida útil do equipamento.

“O agricultor já enfrenta as incertezas do clima e, atualmente, também as da instabilidade energética. Com a geração na propriedade ele consegue ser autossuficiente e não depender das tarifas das concessionárias de energia elétrica, que sobem anualmente”, orienta.

Com relação a aquisição do sistema, o produtor rural conta com inúmeras possibilidades de linhas de financiamento disponíveis como o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), Mais Alimentos e o Pronaf Eco, com prazos de 10 a 12 anos; o Programa AgroEnergia no Banco do Brasil; linhas de financiamento específicas fornecidas pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) e por bancos convencionais.

A rápida expansão do mercado fotovoltaico desperta a atenção daqueles veem no setor um negócio promissor, mas, ao buscar por este tipo de tecnologia, devemos lembrar que sistemas fotovoltaicos são instalações elétricas e devem ser projetadas e executadas por profissionais capacitados. A União Energia conta com uma equipe de engenheiros especializados neste tipo de sistema, oferecendo uma solução, acima de tudo, segura.

Fonte: Canal Bioenergia

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.