Uma usina solar somente para o IFSC

Uma usina fotovoltaica que serve de modelo de estudos, como também para abastecer a unidade do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) de Criciúma, foi inaugurada oficialmente nesta sexta-feira, 01. Semana em que se comemora sete anos de existência do Instituto no município. Funcionando plenamente desde o dia 19 de outubro, a usina solar possui um período de vida de 20 anos e conta com 225 painéis solares instalados no telhado do campus, além de cinco inversores, e uma capacidade de gerar 8.400kWh por mês, o equivalente ao consumo de 35 unidades residenciais. A expectativa é que a produção de energia solar resulte em uma economia de 40% na conta de luz.

O investimento foi de R$ 442.034,29, provenientes de uma emenda parlamentar do deputado federal Jorge Boeira. O projeto foi desenvolvido em Minas Gerais e implantando em dez campus no país, sendo o IFSC de Criciúma um dos contemplados. “A proposta tem um apelo econômico, tanto que já percebemos uma redução em algo de R$ 8 mil em nossa fatura de energia elétrica. Além disso, existe um destaque na área de sustentabilidade, como também educacional, onde nossos alunos dos cursos de eletrotécnica e mecatrônica irão compreender o processo de instalação, coletar dados que irão permitir o desenvolvimento de projeto e simulações”, destaca o diretor-geral do campus Criciúma, Lucas Dominguini. Ainda segundo o diretor, pelo fato do sistema ser automatizado torna-se de fácil manutenção. “Nossos professores que são engenheiros eletricistas e que atuam nessa área poderão fazer isso, por meio de assessoria técnica da empresa”, informa.

Na ocasião, também foi anunciada novidades relacionadas à construção do Bloco D. Com dois pavimentos e dez salas de aula, o bloco permitirá a ampliação das atuais 1,2 mil vagas para duas mil. A licitação foi lançada no começo de novembro e já tem empresa vencedora. “A obra irá iniciar em janeiro do próximo ano e a expectativa de estar concluída em fevereiro de 2019”, informou a reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider.

Já o Laboratório de Sistemas Elétricos de Potência (SEP) é uma rede didática de alta tensão e de baixa tensão multiplexada, doada pela Cooperativa Fumacense de Eletricidade (Cermoful), de Morro da Fumaça. Instalados na área frontal do Câmpus, os postes que simulam uma rede elétrica beneficiarão principalmente os alunos do curso técnico em Eletrotécnica e de cursos de qualificação profissional.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.