Um em cada três brasileiros tem Apneia Obstrutiva do Sono

Durante esse sábado, quem passou pela Praça Nereu Ramos ficou sabendo da importância de dormir bem. Criciúma também participou do calendário nacional da Semana do Sono 2018, promovido pela Associação Brasileira do Sono (Absono). Além disso, o evento foi credenciado pela Sociedade Mundial do Sono, dando visibilidade ao município. A Apneia Obstrutiva do Sono esteve em destaque, o distúrbio pode causar a morte.

“Um em cada três brasileiros tem Apneia Obstrutiva do Sono (AOS). As mulheres sofrem mais com a insônia, no período pós-menopausa, podendo causar ansiedade e depressão e assim um ciclo vicioso. Já os homens são atingidos pela AOS, principalmente idosos, o que causa riscos cardiovasculares, como hipertensão, insuficiência cardíaca, infarto e até AVC”, explica o pneumologista e especialista em Medicina do Sono, Fábio Fabrício de Barros Souza, que é presidente da Associação Brasileira do Sono em SC.

Foi por meio de questionários que profissionais da saúde e acadêmicos da Unesc puderam avaliar a qualidade do sono da comunidade. Ao passar pela triagem, tiveram dados recolhidos, como peso, altura, IMC e perímetro cervical (pessoas com pescoço mais grosso tem tendência para AOS. Ao final do questionário, foram orientados como podem melhorar a qualidade do sono, de forma individual. Se necessário, foram instruídos a realizar a polissonografia, exame para diagnosticar os distúrbios do sono.

“Além dos acadêmicos da Unesc o evento contou com a participação de uma equipe multidisciplinar. Fisiotrapeuta para demonstração de CPAP. Dentista para falar sobre o aparelho intraoral. Fonoaudiólogo para avaliação do exercício da garganta que pode ajudar na Apneia. Além de uma psicóloga que atendeu casos de insônia, através da terapia cognitiva comportamental”, conta Souza.

Segundo o especialista em medicina do sono, existem fatores hormonais que apenas secretam enquanto as pessoas dormem, como o GH, hormônio de crescimento. “Então, temos que de fato “despertar” para os problemas do sono. Fatores de atividade simpática, de aumento e descenso da pressão arterial, frequência respiratória que precisam ser avaliados. Precisamos do sono para nos preparar para o dia seguinte, ter um trabalho produtivo, aprendizado, qualidade de vida e saúde”, finaliza.

 

#apneia do sono, #Apneia Obstrutiva do Sono, #Associação Brasileira do Sono, home_destaque, unesc