Tribunal da internet: pontos de vistas diferentes terminam em xingamento e danos morais

Recentemente, delegado de Criciúma sofreu com ofensas na internet

Você já deve ter visto nas redes sociais uma simples postagem que de uma hora para outra vira um fórum de discussão. Até aí tudo bem, mas quando o propósito se perde e as ofensas ganham força, algo precisa ser feito, como à justiça.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Isso aconteceu recentemente com o delegado da Polícia Civil de Criciúma, Márcio Campos Neves, que fez uma postagem no Facebook e recebeu não apenas críticas pelo seu ponto de vista, de pessoas que discordavam da sua posição, mas ofensas.

Por conta disso, o delegado acionou o advogado Artur Bolan Búrigo, que foi o responsável por entrar com uma ação mandamental com pedido de tutela de urgência, que focou na retratação e na condenação danos morais, e que em sentença determinou a exclusão dos comentários ofensivos na postagem original, em uma retração na mesma rede social e no pagamento de uma multa por conta de danos morais, que será direcionada a Associação de Pais e Amigos de Autistas de Criciúma e Região (Ama-Rec). Até o momento os comentários foram apagados e a retração publicada.

De acordo com o advogado, “O direito à liberdade de expressão não é absoluto e caso venha ofender a honra de outra pessoa, estará sujeita a reparação. Afinal, somo todos iguais perante a lei”. Caso o pagamento não seja realizado conforme acordado, uma multa será cobrada e o valor da mesma revertido à mesma instituição.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.