Tigre: “oposição” explica desistência de inscrição de chapa

Uma votação que está agendada para esta sexta-feira, na sede da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), deve confirmar o nome de Jaime Dal Farra na presidência do Criciúma Esporte Clube. Sem nenhuma chapa concorrente, a composição de situação será aclamada durante a reunião dos conselheiros. Mas a confirmação de quem não haverá disputa foi oficializada apenas nessa quinta-feira, quando o grupo “Apenas Criciúma” explicou os motivos da desistência.

Em longa nota encaminhada à imprensa e a grupos de torcedores no WhatsApp, os membros destacam os fatores que os fizeram não participar do pleito. Além disso, o comunicado, cuja veracidade é atestada por um dos integrantes, Adriano Ozellame, ressalta que o momento é de fiscalizar as ações da diretoria.

Confira a íntegra da nota:

“Nota à Imprensa e torcida CARVOEIRA.

Nós do grupo Apenas Criciúma, viemos a público nos posicionar a respeito da eleição para presidente do Criciúma Esporte Clube.

Desde a publicação no Jornal A Tribuna, de 05/12/2018, quando foi levantado a possibilidade de o clube estar sem presidente após aquela data por força de não cumprimento do Estatuto Social, passamos a nos manifestar publicamente e cobrar da mesa diretora do Conselho sobre a necessidade do cumprimento das regras estatutárias, para que o clube não viesse a ter prejuízos futuros por não realizar a eleição conforme prevê o estatuto.

A mesa diretora, em uma postura até agora não explicada, defendeu que não havia nada de irregular e que haveria uma modificação na ATA de eleição de 2015, para que o clube seguisse com o Gestor da GA como presidente até o fim do contrato.

Diante das manifestações de alguns advogados ligados ao conselho e com experiência na área estatutária e também da pressão exercida por integrantes do grupo Apenas Criciúma, a mesa diretora do Conselho reviu sua postura e entendeu que deveria ser realizada a convocação para eleição cumprindo assim as prerrogativas do estatuto e não se reunir em portas fechadas sob a tutela do advogado da GA para encaminhar as decisões que tem de ser levadas aos conselheiros e decididas por estes.

Mesmo assim, em uma coletiva a impressa a mesa diretora não assumiu que errou nas suas decisões e na fala do seu presidente e do advogado usaram a palavra “tumulto” para justificar a tomada da decisão de convocar as eleições. E para piorar a situação o secretário geral da mesa diretora diz que “para ser presidente do Criciúma E.C tem que ter dinheiro”, mostrando total despreparo na sua função que é ler o estatuto e cumprí-lo.

O grupo Apenas Criciúma, formado por mais de 50 conselheiros, esteve esse ano, ativo e tentando de uma forma mais participativa, cuidar dos interesses da instituição, solicitando inclusive a realização de uma reunião extraordinária para debater os rumos que a gestão do Clube vinha tomando durante o ano no futebol, que poderia resultar em graves prejuízos com o possível rebaixamento à Série C do Campeonato Brasileiro, se salvando apenas na última rodada.

A ações praticadas pela empresa que hoje administra o Criciúma Esporte Clube são de inteira responsabilidade do seu proprietário Jaime Dal Farra, porém podem trazer sérias consequências ao Clube, a sua torcida e à Cidade.

A administração precisa respeitar o interesse e anseios dos seus sócios, da sua torcida e da sociedade Sul Catarinense como um todo e isso está sendo colocado de lado em troca de benefícios financeiros a uma empresa gestora que administra o clube.

Na atual gestão, não há atualmente um Vice Administrativo desde a saída do último eleito Carlos Henrique Alamini que passou a ser o Presidente da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo.

Na intenção de agregar esforços por um Criciúma melhor e uma aproximação com a GA, nos reunimos com um representante da empresa para levar ao conhecimento do dono da GA e presidente do Clube uma possibilidade de compor a chapa indicando o nome do candidato a Vice Administrativo.

Nesta conversa com o representantes da GA, levamos a proposta, de que essa vaga fosse dada para o grupo Apenas Criciúma e assim passaríamos a fazer parte da gestão desta forma estaríamos nos preparando para uma transição de forma tranquila, estudando uma maneiras para que o Criciúma Esporte Clube tivesse ciência das entradas de dinheiro, dos custos para a administração, dos custos de se fazer futebol profissional e de base e que estudasse de que forma o clube seria gerido após o fim do contrato, já que está é a última eleição antes do término do contrato de gestão da GA com o Criciúma Esporte Clube.

Assim, com esta proposta não haveria uma eleição e sim um consenso, o que evitaria as possíveis desavenças entre as partes.

A ideia inicialmente foi aceita pelo representante da GA e que deveríamos apresentar o nome de quem iria ser o Vice Administrativo que seria levado para avaliação e possível aprovação do dono da GA e presidente do Criciúma Esporte Clube.

Ao fim do dia um nome foi apresentado e foi descartado, segundo o representante por haver problemas pessoais entre as partes.

Na sequência foi apresentado um novo nome e o representante pediu até o final do dia de terça feira para uma posição já que o dono da GA não estava na cidade.

As 18:40 hs de terça feira recebemos a resposta que o dono da GA já tinha um vice administrativo e que esse seria um empresário da cidade e que estava descartada uma composição.

Encerrada as negociações decidimos não mais fazer a chapa por entender que a composição era melhor que o enfrentamento, pois seria muito rum para o clube estar vivenciando um clima de eleição, o que atrapalharia inclusive a formação do elenco para a próxima temporada.

Mesmo assim, tomamos a decisão que vamos a partir do próximo ano, estar atento as ações da mesa diretora do conselho, pois sempre estaremos a favor do clube, do torcedor e contra os acordos a portas fechadas.

Vamos estar vigilantes, muito mais do que já fomos no ano de 2018.

A mesa diretora tem um caminho a seguir que é o cumprimento do ESTATUTO SOCIAL, não ideias e interesse pessoais.

O Criciúma Esporte Clube é de uma região e de uma torcida, nós somos sócios proprietários, conselheiros e como todos, torcedores apaixonados.

Agradecemos o apoio recebido.

Grupo Apenas Criciúma”