Reforma da Previdência gera protesto em Criciúma

A manhã desta segunda-feira, 19, foi movimentada em frente ao INSS de Criciúma. O Movimento Sindical e Social do Sul do Estado realizou um protesto contra a Reforma da Previdência em frente do prédio. Além disso, o Movimento destacou  o mal atendimento por parte de funcionários do Instituto. O grupo formado dez sindicatos, movimento estudantil, associação de aposentados, entre outro, chegou por volta das 8h30 na Rua São José e segue até às 16 horas. A data de hoje é marcada como o Dia Nacional de Luta Contra a Reforma da Previdência em todo o país, com atos em diferentes cidades.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentação (Sintiacr ), Célio Elias, a intenção do movimento é mostrar para a sociedade que todos dependem da previdência. “Se a Reforma for aprovada da maneira que está todos nós trabalhadores teremos um prejuízo enorme na retirada de nosso dinheiro. Por isso, que os movimentos sociais e sindicais estão aqui concentrados para denunciar mais um ataque do golpista Temer e da sua quadrilha contra a sociedade brasileira”, disse o sindicalista.

Célio Elias, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentação

 

Sobre as consequências com a aprovação da Reforma, segundo Célio, o povo brasileiro não vai ganhar mais que dois salários mínimos. “Nós entendemos que o núcleo total da Reforma Previdenciária foi construído com o governo e com o sistema financeiro, ou seja, os bancos privados. Com isso, se você quiser um aposento maior terá que pagar uma previdência privada para os bancos. Não podemos deixar de forma alguma aprovar qualquer texto desse governo que não tem legitimidade. Se aprovarem essa reforma o povo vai pra rua fazer uma luta muito mais radical”, acredita .

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.