Rapaz de 21 anos morre com suspeita de meningite

Mais um caso suspeito de meningite será investigado pelos órgãos de saúde de Joinville e do governo do Estado. Desta vez, a vítima é um rapaz de 21 anos que morreu na manhã de ontem, 15, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, em Joinville. Lenin Muniz Dias deu entrada na unidade na tarde de sábado, 14, por volta das 15h20, com febre alta e vômitos. O rapaz foi direto para a terapia intensiva, mas não resistiu, e morreu às 10h30.

No atestado de óbito, consta que a causa da morte foi choque séptico, ou seja, uma infecção generalizada nos órgãos, mas a equipe médica investigava se Dias havia contraído a bactéria Neisseria mengitidis, que causa meningite. Outra suspeita é que o homem possa ter morrido em decorrência a meningococcemia, um tipo de meningite muito mais severa.

O corpo passou pelo Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) onde os técnicos coletaram amostras de sangue e do líquido da região da coluna lombar que devem ser encaminhadas ao laboratório do Hospital Regional e para o Lacem (Laboratório Central de Saúde Pública), na capital, para investigar se, de fato, o jovem morreu em decorrência de uma das duas doenças. Não há prazo para os resultados.

Lenin morava no bairro Ulysses Guimarães, na zona Sul de Joinville, era solteiro e não deixa filhos. Ele trabalhava em uma lavação de veículos. O corpo dele será enterrado na tarde desta segunda, no Cemitério Municipal.

Infecção evoluiu muito rápido, diz mãe do jovem

“Ele era um menino tranquilo, apaixonado por futebol, torcedor fanático do JEC [Joinville Esporte Clube] que, como todo o garoto de sua idade, não resistia a balada. Um filho carinhoso e muito querido”. Foi com estas palavras que a dona de casa Léa Muniz, 45 anos, descreveu o filho Lenin Muniz Dias, nesta segunda-feira, durante o velório do jovem, que ocorreu na Capela Mortuária Borba Gato.

Léa contou como foram as últimas horas de vida do filho, que chegou a ser membro de torcida organizada do Joinville e sócio do time. “Na noite de sexta-feira Lenin começou a ficar ruinzinho. Estava com uma febre de 40º ânsia de vômito. Às 2h de sábado, resolvemos procurar ajuda médica”, lembrou a mãe de Lenin.

A família foi até o Pronto Atendimento Leste, que fica no bairro Aventureiro. “A equipe do PA medicou meu filho na tentativa de fazer a febre diminuir e o vômito cessar. Então fomos orientados a voltar para casa. Lenin ficou ruim a noite toda, e piorou pela manhã. Por isso, na manhã de sábado retornamos ao PA Leste, de lá ele foi transferido às pressas ao Hospital Regional. Meu filho foi direto da UTI”, recordou a dona de casa.

“Fomos muito bem atendidos, mas devido à gravidade do caso os médicos não conseguiram controlar a infecção. Meu filho morreu menos de 24 horas depois de entrar no Hospital. Foi uma morte precoce. Tem sido muito difícil para todos nós”, finalizou Léia Muniz.

Professora que estava internada no São José com meningite ganha alta

Depois de ficar quase um mês internada no Hospital Municipal São José, a professora de Joinville, que lutava contra uma meningite, ganhou alta no sábado, 14. A mulher de 53 anos já se recupera em casa. Ainda não há previsão dela voltar a lecionar no município.

Por OCP News Joinville

#Hospital Regional Hans Dieter, #Lenin Muniz Dias, #meningite, home_destaque