Protestos violentos somam mais de 20 mortos na Colômbia

Os protestos na Colômbia rumaram para o nono dia, nesta quinta-feira, quando autoridades da pequena cidade de Pereira ofereceram uma recompensa por informações depois que três pessoas foram baleadas, em um incidente ligado a manifestações ocorridas na última madrugada.

Os protestos no país foram convocados originalmente em oposição a um plano de reforma tributária já descartado, mas desde então os manifestantes ampliaram as exigências para incluir uma ação governamental para enfrentar a pobreza, a violência policial e a desigualdade nos sistemas de saúde e educação.

Passeatas em todo o país foram ofuscadas por episódios de violência – 24 pessoas já morreram, a maioria manifestantes. Organizações internacionais alertam para o uso excessivo de força por parte da polícia.

“A polícia nacional rejeita redondamente os atos que aconteceram em Pereira perto do viaduto, onde três pessoas foram feridas por armas de fogo”, disse o comandante da polícia municipal, coronel Aníbal Villamizar, em uma mensagem de vídeo na noite dessa quarta-feira.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Uma recompensa equivalente a cerca de 13 mil dólares está sendo oferecida por informações que levem à prisão dos responsáveis, disse o prefeito, Carlos Maya, no Twitter.

Ainda na quarta-feira, 5, 12 mil pessoas marcharam em Medellín, informou a prefeitura em um comunicado. As manifestações foram essencialmente pacíficas, mas houve confrontos entre manifestantes e policiais mais tarde no mesmo dia no Parque de los Deseos.

Após uma noite violenta em Bogotá no início da semana, “tivemos um dia bem mais calmo”, disse a prefeita, Claudia López, acrescentando que mais 23 civis e seis policiais se feriram, mas que inicialmente as lesões pareciam leves.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.