Protesto da torcida pode gerar multa ao Tigre

As faixas em protesto ao presidente Jaime Dal Farra exibidas na última quarta-feira, 14, pela torcida organizada ‘Os Tigres’ antes do inicio do jogo diante do Joinville podem doer no bolso da diretoria.

A manifestação gerou um atraso de 7 minutos no apito inicial da partida, por conta do regulamento do Campeonato Catarinense não permitir tal protesto. O árbitro Fernando Henrique de Medeiros Miranda relatou o acontecido em súmula. “Atraso de 7 minutos para o início da partida devido a espera da retirada de duas faixas ofensivas contra a diretoria e o presidente do Criciúma Esporte Clube, com os seguintes dizeres: ” Diretoria amadora” e ” Fora Dal Farra””.

De acordo com o regulamento do campeonato, o Artigo XXIV, parágrafo 3º, Inciso III deixa claro o impedimento. “Proibida a afixação de qualquer faixa que atente contra a moral e os bons costumes, de cunho preconceituoso ou ofensivo, a qualquer autoridade pública ou desportiva, tais como dirigentes da Federação Catarinense de Futebol, da CBF e da FIFA, bem como dirigentes de clubes”. A descrição do árbitro, de acordo com o próprio regimento, pode ocasionar uma multa ao clube caso haja denúncia da procuradoria junto ao Tribunal de Justiça Desportiva, o TJD. E caso haja novo tipo de manifestação da torcida, o Tigre pode perder até mando de campo.

O diretor jurídico do Criciúma, Albert Zilli dos Santos, comunicou que a denúncia ainda não foi feita. “Temos que esperar, mas dificilmente escaparemos da multa”, relatou.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.