Projeto Rota SC inicia com edição de sucesso na Unesc

A região Sul de Santa Catarina deu, na noite de ontem, 25, mais um passo em prol do seu desenvolvimento sustentável. Isso porque lideranças das três regiões, Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera), Amesc (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) e Amurel (Associação Municípios Região de Laguna), assim como a comunidade acadêmica da Unesc e a comunidade externa, estiveram reunidos no Auditório Ruy Hülse para a primeira edição do projeto “Rota SC – Inovação é o nosso combustível”. A ação foi realizada em parceria entre a Universidade, por meio da Sala dos Municípios, o governo do Estado e as Associações em prol da aproximação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) e seus setores das demandas da comunidade.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

O evento foi dividido em três blocos, sendo o primeiro deles destinado a questionamentos e respostas voltados à reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta, propositora do encontro, e o secretário da SDE, Lucas Esmeraldino. Entre os assuntos abordados neste primeiro momento estiveram os papeis desempenhados por cada uma das instituições e as suas projeções em torno da inovação para o benefício da região e de setores da economia.

Nesta sexta-feira, 26 representantes da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) estarão na Unesc, na Sala dos Municípios, recebendo demandas das regiões e alinhando necessidades para cada uma delas.

Assuntos tratados

Entre os focos dos assuntos tratados, Esmeraldino destacou o esforço da equipe do governo para acelerar os processos de inovação por todas as regiões. “Queremos deixar Santa Catarina como o estado inovador, o estado do Vale do Silício. Para que isso se torne real estamos seguindo o foco passado pelo governador Carlos Moisés, que é colocar celeridade e acelerar os projetos, para que os Centros de Inovação se tornem realidade o quão breve possível”, pontuou salientando o trabalho em prol do Centro de Criciúma que está sendo encaminhado em parceria com a Acic (Associação Empresarial de Criciúma) e com a Unesc.

Além de responder aos questionamentos enviados por cidadãos e, desta forma, pontuar diversos aspectos de atuação da Universidade em prol da comunidade, a reitora salientou sua expectativa com relação ao trabalho do governo. “Esperamos que a equipe do Estado mantenha os projetos que vem desenvolvendo com as universidades comunitárias, que vêm passando por um histórico fortalecimento. Minha expectativa, portanto, é de que o governo siga tendo esse olhar especial para nós, que trabalhamos em prol da comunidade, para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. Precisamos fortalecer nosso setor produtivo por meio daquilo que produzimos aqui na academia”, destacou Luciane.

Na segunda rodada de debate estiveram à frente dos questionamentos os presidentes Junta Comercial de Santa Catarina, Juliano Chiodelli, da Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina), Fábio Holthausen e do Imetro SC (Instituto de Metrologia de Santa Catarina), o Subtentente Rudinei Floriano, assim como o diretor de qualidade ambiental do IMA (Instituto do Meio Ambiente), Fábio Castagna da Silva. Já na reta final do encontro puderam fazer explanações e tirar dúvidas dos presentes o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovações, Sandro Yuri Pinheiro, a coordenadora especial de Integração e Planejamento Ambiental, Thais Saretta, a diretora de Empreendedorismo e Competitividade, Letícia Duarte Lemos, e a diretora de Recursos Hídricos e Saneamento, Jaqueline Isabel de Souza. Todos puderam destacar as principais questões de atuação em suas áreas e apontar os caminhos que estão sendo trilhados em prol de melhores resultados.

Proposta de aproximação

Para a reitora da Universidade, a noite foi um momento de aproximação de extrema importância. “Acredito que tenha sido um marco importante para o desenvolvimento no Sul do Estado. A vinda do secretário e de sua equipe nos faz acreditar que a relação entre Universidades, poder público, setor produtivo e comunidade é o caminho e que a inovação é mais do que uma necessidade, é o caminho para o desenvolvimento”, pontuou.

A avaliação do secretário da SDE é de que o Rota SC já pode ser considerado um sucesso. “Achei um resultado muito bom. A aproximação do munícipe com os diretores, os presidentes das diretorias vinculadas, é muito legal porque humaniza o atendimento. Indo na comunidade, na região, eles conseguem visualizar in loco, receber as demandas, as reivindicações, e, assim, aproximar o governo do Estado com quem de fato faz o Estado, que são os cidadãos”, destacou.

Detalhes do formato do evento, de acordo com Esmeraldino, serão lapidados pela equipe para que ele seja cada vez melhor, mais bem atrativo e mais bem aproveitado. “Sabemos que cada setor desse poderia fazer uma palestra completa. É muito conteúdo e por isso nossa preocupação em passa-lo da melhor forma. De todo modo, nosso compromisso é honrar a iniciativa da reitora Luciane e, após passar um ano levando o projeto por todo o Estado, fecharmos o Rota SC novamente aqui na Unesc com outro evento de aproximação e ainda mais novidades”, completou o secretário.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.