Projeto Dor Nível Zero propõe soluções simples para aliviar o sofrimento de quem convive com dores

O educador físico Lucas Sussella, 33 anos, é o responsável por um projeto que visa ajudar as pessoas que precisam lidar com a dor em sua rotina. Formado há 8 anos, e com experiência em reabilitação e prevenção, foi em casa que ele despertou para uma situação que aflige muita gente, inclusive o seu pai que foi vítima de um acidente e precisou conviver com a dor.

O projeto @dornivelzero teve início com a realidade vivenciada com meu pai, conta o profissional “Já que, após um acidente, ele apresentava dificuldades para andar e dores constantes. Com isso, cheguei um dia para ele e perguntei: -Pai, como é essa dor? E ele me disse: – Eu sinto dor todos os dias, alguns dias a dor é mais intensa e, em outros, mais leve”.

Durante esse período, Sussela fazia graduação em Psicologia, mas o desejo dele era ter o pai sem dores. Então, vislumbrou na Educação Física um modo de prevenir e recuperar lesões. “Isto porque, na Educação Física não devemos ou não deveríamos objetivar somente um formato físico corporal perfeito. Mas, a partir das especificidades de cada pessoa, tendo em vista suas potencialidades ou fragilidades decorrentes de lesões ou dores, com o conhecimento da Educação Física podemos auxiliar na busca de um corpo saudável. A própria expressão “Educação Física”, para mim, remete a ideia de práticas corporais que considerem gravidade, inércia, ângulo, velocidade, entre outras questões para a prevenção e recuperação de lesões” relata.

Recentemente, um estudo realizado sobre a prevalência de doenças musculoesqueléticas crônicas e fatores associados em adultos brasileiros evidenciou que cerca de 30% dos brasileiros analisados possuem alguma lesão. “Como podemos auxiliar esse público que, por muitas vezes, sofre sem buscar soluções porque acredita que sentir algum desconforto ou dor é normal?”, indaga o criador do projeto.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Para finalizar, surge um outro questionamento essencial para pensarmos, sugere o educador físico: “quantos dos nossos leitores estão nesse momento, sentindo dores ou procurando soluções pouco assertivas e imediatas para o alívio da dor? Talvez, não possamos mensurar essa quantidade em números, mas podemos trazer conhecimento por da escrita. Com isso, proponho, que por alguns minutos, o leitor além de informar-se sobre as notícias do dia ou relaxar tendo o prazer da leitura que gosta, tenha um espaço para apropriar-se de conhecimento que trará benefícios para sua saúde”.

Há oito meses, o projeto começou e quem tiver interesse em acompanhar mais dicas pode seguir a página do Instagram @dornivelzero.

 

 

 

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.