Projeto Bailarina Protegida: crianças encerram o ano saudáveis e felizes

O ano de 2020 foi atípico e cheio de incertezas. E quem tem crianças em casa, sabe o quanto a pandemia também afetou a rotina delas. Ativas, inteligentes, cheias de energia, elas se viram trancadas em casa de uma hora para outra e limitadas ao uso da tecnologia. Pensando em auxiliar as famílias e principalmente, dar mais qualidade de vida às bailarinas, a SD Ballet de Criciúma/SC, unidade Metropolitan Business Center, desenvolveu o Projeto Bailarina Protegida. Com todos os cuidados necessários e reforçando a conscientização quanto ao uso do álcool em gel, uso de máscaras e do distanciamento, a unidade retomou as atividades no dia quatro de maio.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

O resultado não poderia ser melhor: além de possibilitar a prática de exercício físico, tão fundamental à infância, nenhuma criança foi contaminada durante os meses em que as aulas aconteceram. De acordo com a Diretora Pedagógica da SD Ballet, Simone Duarte, máscaras personalizadas foram feitas e todas as crianças receberam uma. Segundo ela, até mesmo as pequenas, a partir de dois anos, entenderam a necessidade de não tirar a máscara durante as aulas. “Como foram feitas com uma temática infantil e uma modelagem própria, algumas mães compraram várias máscaras para elas usarem no dia a dia.  Além disso, também colocamos máscaras nos bichinhos de pelúcia que ficam na escola para elas entenderem a importância do uso”, explicou Simone.

Diversas adaptações foram necessárias para tranquilizar os pais e também para permitir que as crianças retomassem as atividades em local livre dos riscos de contaminação por coronavírus. E tudo isso sem perder o encanto. “As crianças aprendem rápido e foi incrível como elas respeitaram as regras. A atividade física libera endorfina que é responsável pela sensação de bem estar e estimula o hormônio do crescimento. Além disso, tem a questão psicológica, a criança precisa de rotina para se entender e entender o mundo a sua volta”, reforça Simone.

Para Mariana Magalhães, mãe da pequena Laura de 4 anos e 9 meses, foi fundamental continuar as atividades na pandemia, para manter pelo menos um pouco da rotina das crianças. “Nesse ano tão desafiador, foi muito importante especialmente porque o ballet é parte da nossa história. São três gerações de bailarinas na família. Sabemos o quanto a rotina é necessária nas nossas vidas e o ballet foi mais um ambiente no qual as pequenas puderam praticar o senso de responsabilidade consigo e com o próximo”, ressalta Mariana.

A prática do ballet oferece diversos benefícios, tanto para o desenvolvimento motor, quanto para o cognitivo e o psicológico dos praticantes. Entre eles, melhora da coordenação motora, lateralidade, expressão corporal, equilíbrio, postura, flexibilidade, tônus muscular, disciplina, socialização, entre vários outros.

Mais informações sobre a SD Ballet podem ser conferidas no site www.sdballet.net.

Como a escola SD Ballet adaptou as aulas: 

·Assim como as professoras, as crianças receberam uma máscara customizada da SD Ballet e foram orientadas a utilizá-la desde que chegassem ao local, até a hora de ir embora;

·O uso do álcool em gel era obrigatório;

·Logo que chegavam, as crianças tiravam os calçados na recepção e colocavam a sapatilha. Caso precisassem ir ao banheiro durante a aula, por exemplo, usavam protetores descartáveis de calçados para não ter contato com o chão;

·O sistema de exaustão e ar-condicionado ficavam sempre ligados (na função ventilar) para que o ar no interior da sala se renovasse de forma permanente;

·Todas as aulas foram reformuladas para que não houvesse contato entre as crianças e a distância ideal fosse mantida;

·A personagem “Bailarina Protegida” foi muito presente durante todo esse tempo.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.