Notícias de Criciúma e Região

Professora da Unesc recebe a Comenda do Mérito Farmacêutico

O trabalho e dedicação de 20 anos à profissão da professora e farmacêutica Ângela Rossato, foi reconhecido com a Comenda do Mérito Farmacêutico. A entrega aconteceu ontem (25/09), Dia do Farmacêutico, pelo Conselho Regional de Farmácia de Santa Catarina. A distinção de honra é concedida aos profissionais farmacêuticos e personalidades catarinenses que na sua atuação profissional, se destacam a serviço da valorização da categoria. A coordenadora do curso de farmácia da Unesc, Juliana Lora, acompanhou a entrega no auditório do CRFSC, em Florianópolis.

Para a professora, uma homenagem também é um reconhecimento ao próprio curso de Farmácia da Unesc. “A trajetória que a gente tem com relação à profissão e com a lembrança do meu nome, também vêm os nomes dos professores e o trabalho que fazemos aqui na região Sul”, destaca.

Ângela Rossato é formada em Farmácia Bioquímica Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal de Santa Maria. Possui especialização em Fitoterapia, Farmácia Clínica e Farmacoterapêutica, Segurança do Paciente e Farmácia Clínica com ênfase em Prescrição Farmacêutica. Possui mestrado em Farmácia e faz Doutorado em Ciências Ambientais na Unesc. É professora da Unesc desde 2002, onde leciona as disciplinas de Farmácia Hospitalar, Fitoterapia e Fitoterápicos, Economia e Administração Farmacêutica. É supervisora/orientadora de estágios das áreas de Farmácia Hospitalar e Fitoterapia. Na sua experiência profissional, atuou nas áreas de farmácia hospitalar, fitoterapia, plantas medicinais, assistência farmacêutica pública e privada, com ênfase na implantação e coordenação de serviços farmacêuticos, com foco na promoção do uso racional de medicamentos e plantas medicinais.

Professora se destaca na pesquisa e extensão em fitoterápicos

Desde 2006, um dos focos do trabalho da professora Ângela Rossato é a coordenação do Projeto de Extensão Fitoterapia Racional, em parceria com a Pastoral da Saúde Regional Sul-IV. O projeto de extensão Quinta do Chá realiza a troca de saberes sobre plantas medicinais na atenção primária à saúde. “O Projeto visa ensinar o uso correto das plantas na comunidade e região. As plantas têm interação, contraindicação, toxicidade e são essas informações que a gente procura repassar para a Pastoral, uma troca e união dos conhecimentos”, conta.

Seguindo a mesma linha da Pastoral, a Unesc também realiza esse trabalho junto às unidades básicas de saúde, do SUS e também com a comunidade local. Neste trabalho, junto ao Herbário da Unesc, é feita a identificação correta botânica e o curso de farmácia se encarrega de fazer a revisão bibliográfica, de acordo com as normas da Anvisa. Essa informação é repassada às comunidades, para que seja usada nos projetos das hortas comunitárias, em parceria com as prefeituras. Esse volume de informações levantadas, que já identificou mais de 150 plantas, será também disponibilizado em um banco de dados para consulta pública. Conforme a farmacêutica, esse processo permite com que uma informação, que geralmente acontece de forma oral, se transforme em algo documentada e tenha menos riscos de se perder. “É um resgate do uso popular, pois essa informação é oral e essa oralidade traz uma fragilidade para o patrimônio, que é imaterial.”, finaliza. Esse projeto já foi realizado em Criciúma e atualmente está sendo aplicado em  Siderópolis.

Você também pode gostar