Processo de investigação científica no Hospital São José permite testar terapias inovadoras em pacientes

Há três anos o Hospital São José possui projetos de pesquisas clínicas, que tem por objetivo investigar temas e assuntos específicos relacionados a tratamento de doenças. Hoje na área de nefrologia, 15 voluntários com doença renal crônica estão sendo estudados com um medicamento para tratar a anemia. Antes disso, eles recebiam uma medicação via SUS, subcutânea, administrada três vezes por semana.

Agora, como explica a farmacêutica e coordenadora do Centro de Pesquisas do Hospital São José, Danusa de Castro Damásio, no protocolo de pesquisa desse laboratório, o paciente utiliza a mesma molécula injetável via oral, ou o medicamento também subcutâneo, mas que oferece uma melhor qualidade. “Ao invés de receber três posologias por semana, ele pode receber até uma vez por mês”, destaca. E completa. “Os pacientes respondem muito bem a este tratamento e possuem muitos benefícios”, garante.

Na oncologia, existe um protocolo que trata os pacientes com câncer de mama em estágio avançado, com uma molécula nova que já é aprovada para o tratamento de câncer de pulmão e melanoma e que hoje está sendo testada para o câncer de mama. “Os resultados estão sendo excelentes”, considera.

Como participar

Para participar, o paciente deve ser voluntário. “Ele precisa saber que irá receber a medicação, mas que ele também precisa seguir o protocolo de pesquisa”, explica. O tratamento dura por quatro anos, os dados estatísticos são de propriedade do laboratório, podemos observar o resultado clínico com uma melhora evidente.

Como funciona

Para que uma substância possa ser testada em uma pessoa, ela precisa ter sido aprovada em testes pré-clínicos. Isto significa que já foram verificados os efeitos benéficos ou prejudiciais dessa substância em seres vivos e os aspectos de segurança para aplicação em seres humanos. E este processo é rigoroso. “São pesquisas com medicamentos em fase de aprovação. Normalmente já foram aprovados no exterior, e precisam passar por fase de aprovação no Brasil”, explica Danusa.

O Centro de Pesquisas do Hospital São José trata os pacientes com medicamentos inovadores, assim como grandes centros como o Hospital Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês. “O laboratório não recruta qualquer centro, somente os de alta qualidade e o São José está inserido”, fala satisfeita.

Além disso, antes de uma pesquisa ser iniciada no Brasil, esta deve ser avaliada e aprovada pelo comitê de ética em pesquisa (CEP) da instituição conduzindo o estudo, pelo Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O objetivo principal das avaliações éticas e regulatórias é garantir a segurança e direitos do paciente.

Números do São José

Para a diretora-geral do Hospital São José, irmã Libera Mezzari, hoje o hospital possui os três pilares fundamentais da saúde: assistência, ensino e a pesquisa. “Estamos focados com várias equipes e comissões para esse trabalho de melhoria no atendimento, com isto os números do hospital também crescem em qualidade, segurança do paciente e humanização”, garante.

A estrutura conta com 359 leitos, destes 54 cirúrgicos, 162 clínicos, 25 na maternidade, dez no berçário, 28 na UTI, pelo Sus e convênios particulares, 68 leitos e 12 unidades intensivas. Tendo 95% de sua ocupação via SUS.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.