Personagens principais em manifestações, caminhoneiros têm dia especial

Últimas ações da categoria, evidenciaram importância dos profissionais para a economia brasileira

Diariamente, as pessoas vão ao supermercado e encontram o que desejam nas prateleiras. A laranja comprada hoje na seção do hortifrúti pode ter sido colhida em outro estado e, em menos de 24 horas, ter chegado até o estabelecimento onde são feitas as compras. E para que isso aconteça, existe uma profissão imprescindível: o caminhoneiro ou caminhoneira, que a cada dia que passa reforça o seu valor e mostra o poder que carrega consigo nas estradas. Desde 2009, a partir da lei nº 11.927 passou a ser comemorado, em 16 de setembro, o Dia Nacional do Caminhoneiro e da Caminhoneira.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Para alguns, ter essa profissão é um sonho, enquanto para outros, é obra do acaso. Passar dias viajando sem ter um local fixo e, por vezes, próprio para dormir, além de abrir mão de datas especiais perto da família, faz com que nem todos desejem ter essa rotina. Por conta disso, muitos acabam desistindo no meio do caminho.

Sulamir Enor de Freitas não via muita projeção para o seu futuro e parou de estudar quando estava na oitava série. Entretanto, com 18 anos – em 1989 – começou a trabalhar na área de serviços gerais da Fumacense Alimentos e, pouco tempo depois, foi ensinado a ser caminhoneiro, a profissão que carrega no peito até hoje.

Um ano mais tarde – na mesma empresa –, Adair Silva começava a realizar seu sonho. “Desde que eu tinha uns oito anos, sonhava com essa profissão. E, por meio da indicação de um funcionário, consegui a vaga que tanto queria na Fumacense. Acho que se aquele menino visse tudo que já vivemos, ele ainda assim escolheria ser caminhoneiro”, afirma.

Uma profissão que faz a pessoa acordar, muitas vezes, sem ter conhecimento do próximo trajeto ou destino. “A partir do momento que chegamos de uma viagem, entramos em uma fila de espera para podermos pegar outra carga e sabermos nossa próxima rota. Como a empresa fornece arroz para diversos estados do país, podemos ir para o litoral catarinense, bem como para o nordeste do Brasil”, explica Freitas.

Essenciais

A maioria dos produtos adquiridos chega por meio dos caminhoneiros, mas, mesmo assim, muitas pessoas ainda desmerecem a atuação dos profissionais, pensando ser algo fácil, ou reclamam quando os veículos – que andam mais devagar no trânsito por questões de segurança – estão à frente nas vias.

“É uma profissão muito importante, porque tudo depende das mercadorias que a gente transporta e, enquanto não for investido em outros meios, nós continuaremos sendo indispensáveis para a sociedade”, assegura Silva.

Reconhecimento

Diante de tantos desafios, reconhecer a dedicação desses profissionais é essencial. E, em uma data especial como o Dia Nacional do Caminhoneiro e da Caminhoneira, se faz necessário valorizar as dezenas de colaboradores do ramo, que são fundamentais para o bom funcionamento dos negócios.

De acordo com o gerente Corporativo de Logística da Fumacense Alimentos, Anderson Luiz Malisky, os motoristas de caminhão – independentemente do gênero, uma vez que a empresa também conta com diversas mulheres nesse posto – são trabalhadores indispensáveis para o negócio, viabilizando o escoamento da produção e auxiliando no abastecimento de todo o país.

“Depois de tantas entregas, chegou a vez de eles receberem a nossa homenagem. O caminhoneiro (a) é aquele que carrega a tristeza da despedida, a saudade das pessoas que ama e o progresso do nosso país. Eles sabem que o caminho é longo e que as estradas apresentam inúmeros desafios, mas chegar no destino final é sempre uma vitória. Os quilômetros de asfalto pela frente marcam as futuras jornadas e os já percorridos demonstram toda a força e experiência desses profissionais. Por tudo isso, nossos sinceros agradecimentos”, finaliza Malisky.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.