Anúncio

Pandemia: Agora é sua vez de ajudar “um anjo”; saiba como

Na hora do desespero pela vida de um filho uma mãe é capaz de tudo, e isso a ciência já comprovou inúmeras vezes. E foi isso que aconteceu com Eloína da Silva, 33 anos, quando viu o pequeno Lorenzo, de três anos de idade, ficando com o rosto roxo e em convulsões em seu apartamento no Centro, do Balneário Rincão. “Peguei meu filho no colo, desci as escadas do prédio e fui para a rua pedir socorro”, conta emocionada.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Anúncio

Foi quando um senhor, conhecido por “Seu Chico”, apareceu e os colocou no carro rumo ao hospital. “Um anjo da guarda que nos levou até o hospital São Donato. E eu desesperada com o meu filho morto no meu colo”, recorda Eloína. Por conta da urgência de saúde, o motorista resolveu trafegar pelo acostamento da SC-445 – já que o tráfego estava lento naquele fatídico fim de tarde de 17 de agosto.

De repente, um outro condutor de um caminhão pensou no mesmo e cortou a frente do Citroen C4 do “Seu Chico” que, para evitar uma colisão, acabou batendo em um poste. A ocorrência foi próximo ao Posto da Polícia Militar, na Vila Nova.

Veículo é usado pelo “Santo” para atividades de eletricista

Mesmo assim, o “anjo” seguiu firme rumo ao destino para salvar a vida do garoto Lorenzo. E diante do apoio que recebeu desse senhor, a mãe do menino, junto com a cunhada, resolveram criar uma vakinha. O valor para arrumar o carro do “Seu Chico” é de mais R$ 2,2 mil (só as peças), fora a mãode obra. “Não temos como pagar pelo custo, mas queremos poder ajudar. Ele salvou a vida do meu filho. É um santo”.

Menino ficou internado em hospital de Tubarão com Covid-19

Lorenzo também precisa de auxílio

Dignosticado com Covid-19, no dia 19 de agosto, Lorenzo ficou dias internado em Tubarão, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Eloína, que era atendente, precisou largar do emprego para poder acompanhar o filho durante o período em que ficou no hospital. Essa semana, o menino voltou para casa, mas os gastos com o tratamento seguem. Casada e com mais dois filhos (uma menina de oito e um garoto de 13 anos), a mãe conta que os custos foram altos. “Tivemos gastos diários, com produtos de higiene, transporte, entre outros. Toda ajuda é bem vinda”.

Caixa Econômica Federal  

1) Agência 1547 
Op 013
Conta poupança 74161-1

02) Agência 2958
Op 023
Conta poupança 5099-0

Para ajudar acesse: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-nos-custos-do-tratamento-do-lorenzo

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.