Numeração irregular das casas dificulta trabalho dos Correios

O processo de adaptação de novos carteiros está entre os possíveis motivos para a dificuldade na entrega de correspondências em Içara. Mas conforme o coordenador de atividades externas dos Correios no Sul do estado, Daniel Camargo Nascimento, a numeração irregular das construções ainda configura a principal causa. O processo exigirá o recadastramento imobiliário no município e, no caso de empresas, acarretará em despesas para as alterações contratuais. Por causa disso, a perspectiva é que ocorra gradativamente.

“Recebemos reclamações sobre as entregas e, por isso, chamamos os Correios e a Prefeitura Municipal para debater soluções”, coloca o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Içara, Alexandre Fernandes.

“Tivemos um projeto-piloto no bairro Presidente Vargas e estendemos para loteamentos do bairro Vila Nova. A cidade cresceu e precisa dessa organização. Os cidadãos precisam nos ajudar”, coloca o secretário municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Arnaldo Lodetti Júnior.

Conforme um levantamento feito pela empresa em 2016, pelo menos 27% dos logradouros não possuem placas de identificação. Além disso, os Correios indicam dificuldade por falta de identificação nas unidades. O número deve ser definido pela Prefeitura Municipal conforme a posição das construções na rua.

“Não é somente os Correios que serão beneficiados. Isto facilitará também para os bombeiros e a polícia”, pontua Daniel.

Ao todo, Içara movimenta 5,7 mil correspondências e 500 objetos ao dia com 11 carteiros e dois carros.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.