Muita água e pouco futebol no Heriberto Hülse

Uma chuva torrencial, que começou algumas horas antes do apito inicial do árbitro, deixou a partida entre o Tigre e Oeste parecendo mais uma prova de resistência. A bola mais ficou parada nas poças d’água do que rolou durante os mais de 90 minutos do jogo válido pela 30ª rodada do Brasileirão Série B.

Devido às condições adversas o empate ficou de bom tamanho para ambos os times, que seguem com a mesma pontuação na tabela de classificação, somando 40 pontos, com uma leve vantagem carvoeira que tem uma vitória a mais que o time paulista, treinado pelo ex-jogador e ex-técnico do Tigre, Roberto Cavalo. O Criciúma segue na 11ª posição e o Oeste em 12º na competição.

O Tigre fez uma pressão nos primeiros minutos, na primeira cobrança de escanteio Liel quase abriu o marcador, mas a defesa do Oeste foi eficiente na marcação e afastou o perigo. Um público de mais de 3,5 mil torcedores incentivou o time, mas as tentativas carvoeiras esbarravam no sistema defensivo do adversário. O goleiro Tadeu, do Oeste teve uma atuação brilhante e defendeu as boas conclusões do ataque do Tigre.

Luiz defendeu um chute potente do volante Marciel aos 11 minutos do 1º tempo. Aos 25 minutos Zé do Gol caiu na área e pediu pênalti, a torcida reclamou, mas a arbitragem entendeu como lance normal e não marcou nada. Aos 28 minutos o maior goleador em atividade no Tigre pediu substituição e Joanderson entrou no seu lugar. O meia Elvis arriscou de longe aos 30 minutos, mas a bola passou perto da trave e foi para fora. Após falta cometida pelo atacante Vitor Feijão, aos 40 minutos, o árbitro aplicou cartão amarelo e o jogador irá cumprir suspensão automática na próxima rodada, devido ser o terceiro amarelo do atleta. Aos 44 minutos Feijão arriscou um chute e novamente o goleiro Tadeu fez grande defesa.

O atacante Vitor Feijão até tentou, mas não conseguiu superar a defesa adversária e ainda desfalca o Tigre para a próxima rodada Foto: Ulisses Job/www.criciuma.com.br

O segundo tempo começou menos movimentado, aos 5 minutos Joanderson tentou o chute, mas Tadeu defendeu e seguiu sendo o nome do jogo. Marlon Freitas chutou com categoria aos 14 minutos e a bola passou muito perto, mas foi para fora. Aos 22 minutos Mazola apostou em Alex Maranhão para mudar o panorama da partida e tirou Elvis, mas a mudança não surtiu o efeito esperado e o Tigre seguiu sem ameaçar a defesa adversária na etapa complementar. Aos 35 minutos Ralph entrou no lugar de Carlos Eduardo. Liel testou novamente aos 38 minutos, mas o goleiro Tadeu voltou a brilhar e segurou a bola.Alex Maranhão chutou forte aos 42 minutos e a bola insistia em passar perto da trave e não entrar. Aos 43 minutos o meia Maranhão recebeu cartão amarelo após falta em Conrado. Aos 50 minutos o árbitro apitou pela última vez e o placar terminou como começou, zerado.

O Criciúma volta a campo somente na próxima terça-feira, dia 9 de outubro, novamente em casa, quando recebe o Brasil de Pelotas, pela 31ª rodada do Brasileirão da Série B. Mazola Jr. terá uma semana completa para recuperar seus jogadores e treinar forte na busca do principal objetivo do Tigre nesta temporada, a permanência na Série B, que está cada vez mais próximo de se concretizar, após a sétima partida de invencibilidade da equipe carvoeira.

CRICIÚMA
Luiz; Carlos Eduardo (Ralph), Nino, Sandro e Marlon; Liel, Jean Mangabeira, Marlon Freitas e Elvis (Alex Maranhão); Vitor Feijão e Zé Carlos (Joanderson). Técnico: Mazola Júnior.

OESTE
Tadeu; Adriano Alves, Joilson, Patrick e Conrado (Guilherme Romão); Rodrigo Souza, João Roberto, Marciel, Mazinho (Felipe) e Pedrinho (Edilson); Marcinho. Técnico: Roberto Cavalo.

Cartões Amarelos: Vitor Feijão (C), Alex Maranhão (C) e Betinho (O)
Arbitragem: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro, auxiliado por Lorival Cândido das Flores e Flávio Gomes Barroca (trio do RN).
Público: 3.558 torcedores, para renda de R$ 52.035,00.
Estádio: Heriberto Hülse

Colaboração: @FutdoSulSC

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.