Já são 29 mortos em operação policial no Jacarezinho

A Polícia Civil confirmou que subiu para 29 o número de mortos na operação realizada na última quinta-feira ,6, na favela do Jacarezinho, zona norte do Rio.

A ação causou grande repercussão, inclusive, fora do país. A Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Estado do Rio de Janeiro, manifestou uma grande preocupação com o resultado da operação policial. Segundo a entidade, o número de vítimas coloca essa ação policial entre as mais letais da história do Estado.

A OAB-RJ disse em nota que operações de enfrentamento ao crime organizado são necessárias, mas devem ser feitas com inteligência e planejamento.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro está investigando as circunstâncias das mortes na ação policial no Jacarezinho para apurar se houve violações a direitos durante a operação.

O secretário de Polícia Civil, Alan Turnovsky, negou que tenha havido abuso. O governador do Rio, Claudio Castro, também se manifestou por meio de um vídeo divulgado pela assessoria na noite de sexta-feira, 7.

Entre os mortos está um policial civil, André Leonardo Frias, de 48 anos, que fazia parte da Delegacia de Combate às Drogas. Ele foi atingido com um tiro na cabeça quando desceu do carro blindado, junto com outros cinco policiais, para retirar uma barricada colocada pelo tráfico no caminho.

O inspetor foi sepultado na tarde de sexta-feira no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na zona oeste. Corpos de vítimas foram liberados no sábado, 8, do Instituto Médico Legal.

Leia mais: 

Operação policial mais letal da história do Rio de Janeiro resulta em 25 mortes

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.