Famílias da região Sul recebem tablets para tarefas pedagógicas de alunos

Cerca de 150 tablets, de um total de 1,2 mil aparelhos adquiridos pela administração municipal para utilização em sala de aula por alunos e professores, estão dando sustentação para estudantes de famílias que não têm acesso a internet ou não possuem telefones celulares para executarem as tarefas diárias de atividades pedagógicas à distância. Além desses, cerca de 50 estudantes “desconectados” recebem conteúdos impressos semanais.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

“Só temos um celular em casa e quando o Cristian, que em 10 anos, fazia as tarefas do quarto ano, às vezes era interrompido por chamadas de fora; ou quando a gente precisava ligar ou mandar e receber mensagens de whatsapp; era um transtorno para todos nós e que agora acaba com o tablet “, relata Renata Kuckertt de Souza, mãe de aluno da nova Escola Municipal 12 de Maio.

Renata tem três filhos, dois deles na rede municipal de Maracajá. Além de Cristian, ela tem a Bianca, de quatro anos, na pré-escola. Beatriz, de três anos, somente em 2021 será matriculada. “O desafio de ser mãe na pandemia não está sendo fácil; antes tinha tempo para cuidar da pequena e da casa; agora para complicar meu marido se acidentou no trabalho; estou com quatro crianças para cuidar”, brinca, bem-humorada.

Orgulhosa, a mãe ressalta que “Cristian é um menino muito inteligente, entende com facilidade as tarefas, faz os exercícios e como está habituado a utilizar o tablet em sala de aula desde o ano passado, tudo fica mais tranquilo e o telefone celular disponível, já que temos internet em casa”. Os estudantes que não têm internet recebem, semanalmente, um tablet com as tarefas baixadas e o trocam as quartas-feiras, com os exercícios resolvidos, levando outro aparelho com as tarefas da semana seguinte.

A técnica em informática da nova Escola Municipal 12 de Maio, Luciane Lemos, informa que tem sido tranquilo o processo de adaptação dos estudantes e suas famílias com os equipamentos. “Problemas de acesso, com relação a senhas e usuários ocorrem, vez por outra, mas são superados com facilidade pela habilidade das crianças e adolescentes em utilizar estes equipamentos”, diz Luciane.

A diretora de Educação, Aline Rosso, enfatiza que os tablets supriram necessidades importantes. “Além das que não têm acesso à internet, temos casos de famílias que têm mais de um filho na rede municipal, mas possuem apenas um telefone celular disponível para todos”, ilustra a diretora. “Nossa meta é atingir todos os nossos estudantes e garantir que todos possam acessar os conteúdos e os pais participem deste processo”, finaliza.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.