Exposição vai debater espaço da arte urbana no município

Cantores, artistas plásticos, dançarinos e, até mesmo, tatuadores de todo o país se reunirão no IV Festival de Arte Urbana promovido pela Comunidade Refúgio de Criciúma. O evento que acontece no próximo sábado prioriza a inserção destes artistas no contexto cultural do município.

Desde a primeira edição realizada em outubro de 2017, a banda O Maior Cliché do Mundo e o rapper Marone Falasha são atrações frequentes. Além dos cantores o ilustrador Hítalo Rocha, um dos principais destaques da terceira edição, estará na amostra deste fim de semana. Os organizadores do festival pretendem transforma-lo em um evento trimestral.

“Queremos dar voz para pessoas que se entendem como artistas e não tem um espaço expor seu trabalho e, além de visibilidade, dar o reconhecimento merecido”, explica o pastor Lu de Souza que, além de liderar a comunidade é o principal organizador do evento. “Os grafiteiros, por exemplo, encontram muitos obstáculos para conseguir um canto de muro onde possam mostrar seu talento e os tatuadores são procurados para embelezar os clientes e não como artistas” considera.

Embora seja realizado por uma igreja evangélica, o espaço é aberto para todos os artistas, independente da confissão religiosa. Ainda existem espaços disponíveis para artistas que queiram expor no local. A inscrição é gratuita e precisa ser feita pelo telefone (48) 9 9643-1327.

O quarto Festival de Arte Urbana será realizado neste sábado, a partir das 14h, na Comunidade Refúgio de Criciúma, localizada na Rua Miguel patrício de Souza, 288, no Jardim Maristela. A entrada é franca.

#comunidade refúgio, #IV Festival de Arte Urbana