Estudo apresenta melhorias que precisam ser feitas em escolas municipais

O Observatório Social de Criciúma, por meio da Câmara de Educação, elaborou um relatório sobre a situação das escolas municipais. Dentre as 72 escolas da Rede Municipal de Ensino, foram escolhidas aleatoriamente 25 delas, que foram visitadas pelos voluntários da Câmara de Educação. O objetivo foi o de conhecer melhor a realidade e obter informações, com a expectativa de colaborar com o poder público na elaboração de um planejamento de ações em prol da construção de ambientes mais favoráveis para uma educação de qualidade e melhor aplicação dos recursos públicos.

“O que fizemos foi verificar a situação organizacional das escolas municipais por meio da observação dos aspectos físicos e operacionais, ouvindo a equipe escolar, tendo como base um checklist elaborado pela Câmara de Educação”, explica a coordenadora da Câmara de Educação do OS Criciúma, Mafalda Rosso Izidoro.

Durante a coleta muitos aspectos positivos foram observados nas escolas porém, há necessidades estruturais urgentes. “Além das questões estruturais há que se dar uma atenção especial a grande evasão de alunos nos anos finais, enquanto há fila de espera no infantil e nos anos iniciais. As causas apontadas para evasão foram a procura de emprego, gravidez na adolescência ou mesmo pela falta de atrativo na educação”, ressalta Mafalda.

O relatório feito pelo Observatório Social de Criciúma foi apresentado para a Secretaria de Educação do Município, que já está ciente dos pontos a serem observados. O relatório pode ser visto na íntegra pelo site: oscriciuma.org.br.

Veja alguns dos pontos que observados pelo OS precisam ser melhorados

Desativação de salas de atividades complementares, como artes, laboratórios, bibliotecas e até a sala dos professores, para transformá-las em salas de aula.

Área de instalação das escolas, algumas boas (Casemiro Stachurski, José Contin Portella e Adolfo Back) e outras em área reduzida (Caetano Ronchi, Tâncredo de Almeida Neves e José Cesário da Silva – construída em um terreno com grande desnível da rua).

Atenção urgente para três escolas: Eliza Sampaio Rovaris (Bairro Tereza Cristina), devido a um vendaval ocorrido há 3 anos, foi transferida e as obras de reconstrução estão paradas sem prazo para entrega.

– Angelo Félix Uggioni (Bairro Wosocris) construída há 27 anos em madeira, está com a estrutura do telhado apodrecida com goteiras e infestação de cupins

Moacir Jardim de Menezes (Bairro Ceará): rachaduras nos corredores e o forro consumido por cupins, comprometendo inclusive a rede elétrica.

Espaço Esportivo: Das 25 escolas visitadas, apenas três têm ginásio de esportes

Necessidade de atenção para o modelo de educação que vem sendo oferecido e a real necessidade dos alunos;

Das 25 escolas, 16 delas têm Laboratório de Informática e dessas, apenas 10 têm máquinas suficientes para a demanda, além da falta de professores habilitados;

Em sete escolas, as salas de informática foram desativadas, por conta da falta de espaço físico e foram transformadas em salas de aula;

Destacamos que o retorno da “verba emergencial” para administração em cada escola que foi solicitada por todos os gestores visitados, já está sendo encaminhado pela gestão pública.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.