Em Criciúma, Rede Catarina de Proteção à Mulher completa quatro anos 

Atualmente atende 84 mulheres que possuem a medida protetiva de urgência

Desenvolver ações efetivas para proteção da mulher nos crimes de vítima de violência doméstica e familiar, sendo amparadas pelo policiamento direcionado da Patrulha Maria da Penha. Este é o objetivo da Rede Catarina de Proteção à Mulher da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC).

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Em Criciúma, o Programa completa quatro anos neste mês e atua em parceria com o Poder Judiciário, Ministério Público e Prefeitura, por meio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas). Atualmente atende 84 mulheres que possuem a medida protetiva de urgência, sendo que desde o início da Rede, 879 mulheres foram acompanhadas pelos policiais militares e cada guarnição é preferencialmente constituída por uma policial feminina.

Como funciona

Na primeira visita à residência das vítimas, as guarnições colhem as informações necessárias para o acompanhamento, sendo ofertado as mulheres apoio psicológico por meio do Creas, assim como orientações para buscarem seus direitos, por meio de advogados ou defensores públicos. Em resumo, a Rede Catarina de Proteção a Mulher oferta o suporte necessário para que à mulher se reestabeleça, dando-lhes voz e dignidade a partir do conceito de que é possível fazer mais e melhor, de forma mais simples e efetiva.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.