Em assembleia, trabalhadores das agroindústrias optam pela greve

Segundo diretor do sindicato a maioria dos colaboradores definiu pela greve devido as condições de trabalho e salários baixos

A greve nas agroindústrias e demais unidades da JBS da região foi aprovada em assembleias realizadas ontem, 21, nas unidades e deve iniciar na próxima sexta-feira, 29. O diretor do Sindicato da Alimentação de Criciúma e região (Sintiacr), Célio Elias, informou que a maioria dos colaboradores definiu pela greve devido as condições de trabalho e salários baixos.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

“Sem contar que a empresa não quer valorizar os trabalhadores com aumento real nos salários, na cesta básica e no abono. O Sindicato está aberto para negociar até a greve”, destaca Elias.

Reivindicação

Os cerca de 3,5 mil trabalhadores reivindicam a reposição de 100% da inflação no mês de outubro nos valores de todos os salários referentes ao mês de setembro de 2021 – data-base da categoria, aplicação de 2% de ganho real e 2% de desconto no vale-transporte, abono do PPR no valor de R$ 1.250,00 para Forquilhinha e Morro Grande e R$ 1.525,00 em Nova Veneza a ser pago em abril de 2022 e, a correção da cesta básica em 20% entre outros.

A empresa oferece somente o INPC de 10.78%, redução do percentual das horas extras de segunda a sábado, redução do percentual do adicional noturno que é de 35% e reajuste do valor do restaurante conforme o PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador.

A votação

Na votação em Nova Veneza, 818 disseram não a proposta da JBS e 70 Sim. Nulos 03 e brancos 08. Em Forquilhinha 157 disseram Sim a proposta da JBS e 1.269 votaram Não. Bancos 18 e nulos 05. Fábrica de ração em Criciúma: 06 disseram Sim e 34 Não e, no incubatório em Araranguá 19 votaram Sim e 41 Não.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.