Dois brasileiros entre os campeões da 51ª edição do Banana Bowl

Superação dos desafios e alto nível dos competidores marcaram torneio que chegou ao fim nesta sexta-feira, dia 5

Após oito dias de competição, chegou ao fim, nesta sexta-feira, dia 5, a 51ª edição do Banana Bowl, realizado nas quadras de tênis da Sociedade Recreativa Mampituba. O Brasil foi o grande campeão da categoria 16 anos: Kauã Cressoni venceu o também brasileiro Henrique Brito na chave masculina e Olívia Carneiro derrotou a peruana Daniela Rubio na chave feminina.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui.

Já o chinês Juncheng Shang, que ocupa a quinta posição no ranking mundial de tênis juvenil, levou a melhor sobre o português Miguel Gomes e foi o campeão da categoria 18 anos, na chave simples masculina. No simples feminino, a vencedora da categoria 18 anos foi a francesa Oceane Babel, em cima da eslovaca Bianca Behulova. Oceane está na 18ª posição no mesmo ranking.

Na categoria 14 anos, os campeões foram o equatoriano Francisco Castro, no masculino, e a chilena Giuliana Ciangherotti, no feminino. Eles venceram o equatoriano Mario Galarraga e a brasileira Leticia Marangoni, respectivamente.

A final de duplas na categoria 18 anos masculino foi disputada apenas por norte-americanos: Alexander Bernard e Dali Blanch venceram Jack Anthrop e Aidan Kim. Já no feminino 18 anos, a dupla russa Kira Pavlova e Diana Shnaider foi campeã em cima da francesa Oceane Babel e da argentina Solana Sierra. Não ocorreram disputas em duplas nas categorias 14 e 16 anos.

A pandemia e seus desafios

O Banana Bowl é considerado o maior torneio de tênis infanto-juvenil da América Latina e um dos cinco maiores do mundo. Por conta da pandemia e do Decreto do Governo de Santa Catarina que impede o funcionamento de clubes recreativos e a realização de eventos esportivos por dois fins de semana, a competição sofreu algumas alterações. Uma delas foi o impedimento ao acesso de público externo e outra foi o adiamento das categorias Kids e 12 anos.

“Agradecemos ao Mampituba, na pessoa do presidente Edézio (Carminatti), que é um clube maravilhoso e, neste ano, abraçou o evento e entendeu a responsabilidade que teríamos em meio a um contexto de pandemia. Também às equipes da CBT e da FCT (Federação Catarinense de Tênis), na pessoa do presidente Alexandre Farias, pois, sem esse grande empenho, o Banana Bowl não teria acontecido”, pontuou o presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp.

Farias, inclusive, reforçou que foi um grande desafio realizar o torneio, mas que, mais uma vez, a superação das equipes organizadoras e dos atletas foi um show à parte. “Fizemos o possível para entregar um grande evento e acredito que conseguimos. Cerca de 400 atletas de mais de 30 nacionalidades participaram dessa edição do Banana Bowl, que se destaca pela superação dos desafios na organização e pelo alto nível dos competidores”, salientou o presidente da FCT.

Colaboração: Vanessa Amando/S.R. Mampituba

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.