Divulgada portaria que autoriza o Curso de Medicina em Araranguá

Foi divulgada no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 04, a portaria que autoriza o funcionamento do curso de Medicina, bacharelado, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), campus Araranguá. Com a publicação deste documento a previsão é que seja feito vestibular especial ainda no primeiro semestre de 2018, para que as aulas tenham início neste ano. No total são 60 vagas totais anuais.

Em janeiro deste ano, durante a assinatura do contrato de execução da estrutura do prédio do Centro de Ciências, Tecnologia e Saúde (CTS03), onde irá funcionar o curso de medicina, o professor e coordenador do curso, Paulo Marcondes, informou que toda a estrutura está sendo planejada por uma comissão formada por sete docentes contratados pela Universidade. Desde o projeto pedagógico até a melhor estrutura do prédio. E destacou que existe um diferencial na grade curricular.

“Não terá aulas teóricas, os alunos desde o início irão aprender por meio de prática clínica, trabalho em equipe, construção e desenvolvimento de projetos nas comunidades, nas Unidades Básicas de Saúde, na residência das pessoas. Tudo será feito nos moldes dos melhores cursos do exterior que hoje existem. Dessa forma o acadêmico aprende e retém muito melhor o conhecimento. Ele aprender a ser médico” considera.

Outro diferencial importante é que no processo de seleção irá existir o bônus de incentivo regional. “Quem fez o ensino médio completo em qualquer cidade da região da Amesc, Amurel e Amrec tanto público quanto privado terá 20% na nota final do vestibular ou do Sisu”, informou.

Já a obra do prédio, sua conclusão total está prevista para ocorrer em 2021, entretanto, até lá, as aulas acontecerão na Unidade Jardim das Avenidas. O valor total da etapa 1 foi destinada à Universidade por meio de uma emenda parlamentar de R$10 milhões do deputado federal Jorge Boeira, onde segundo ele, R$4,5 milhões já está na conta da universidade.

“Sempre foquei minhas ações na área da educação e assumi este compromisso com a universidade. Esse curso é resultado do Programa Mais Médico e quando tive conhecimento do programa fui até o Ministério da Educação, dizer que Araranguá era candidata a receber um desses cursos. E isto foi concretizado” fala satisfeito o deputado federal, Jorge Boeira.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.