Anúncio

Dia da Consciência Negra: “Não é um dia de comemoração e nem de celebração”, diz coordenadora da Copirc

“Não é um dia de comemoração e nem de celebração”, pontuou Dainara Idalino dos Passos da Coordenadoria de Promoção de Igualdade Racial de Criciúma (Copirc),  sobre o dia 20 de novembro, data conhecida como o Dia da Consciência Negra. “Há mais de 130 anos, foi abolida a escravidão dos negros no Brasil, mesmo assim, os índices de violência contra esta população são expressivos”, destaca Dainara.

Entre em nosso grupo e receba as notícias no seu celular. Clique aqui

Anúncio

Dados do Atlas da Violência 2020, que foi divulgado em agosto deste ano pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP),  destaca que em dez anos, os assassinatos de negros cresceram 11,5%. “Esta é uma data de reflexão e resistência, tendo em vista os tempos que estamos vivendo de intolerância, em que os índices de violência contra negros vêm aumentando”, reforça Dainara.

Saiba mais sobre a Copirc

Há 11 anos, a Copir desenvolve uma série de ações em prol da equidade racial, umas das atividades integra o Programa Municipal de Educação para Diversidade Étnica Racial (Pmeder) dentro das escolas da rede municipal. Além disso, atua em conjunto com movimentos afro brasileiros no município e intervindo caso surja algum caso de racismo entre os servidores. Também possui cadeira no Conselho Municipal de Promoção de Igualdade Racial de Criciúma (Compirc) e, junto com outras entidades, desenvolve campanhas, ações e cursos, voltados para a conscientização.

Cras de Criciúma em prol da equidade racial

Os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Criciúma estão organizando ações em prol da conscientização negra. No território da Próspera, foi elaborado um vídeo para enviar às famílias atendidas ainda nesta sexta-feira, 20.

Na Vila Miguel, será proporcionado, na próxima segunda-feira, 23, um ambiente decorado com o tema e diversas atividades relacionadas para as crianças. Depois disso, todas receberão um kit contendo uma sacola personalizada com a história dos cabelos da Lele e quitutes preparados pela equipe.

No Cras da Santa Luzia, as crianças montarão um painel na próxima terça-feira, 24, com palavras positivas e negativas sobre o assunto. “A questão do racismo precisa ser discutida todos os dias. Entendemos a importância do trabalho preventivo e, por isso, os Cras estão desenvolvendo trabalhos neste sentido”, finaliza a secretária municipal da Assistência Social e Habitação de Criciúma, Patrícia Vedana Marques.

 

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo. Inscreva-se agora!

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.