Decisão do Praião está nas mãos da Procuradoria

A tumultuada final do Praião 2018, realizada no último domingo, 11, entre as equipes Ajax/Gráfica GM e E. C. Praia segue rendendo. Não houve campeão, pois a partida foi interrompida devido a confusões e invasões no campo, agora de acordo com o gestor de Cultura, Esporte e Turismo de Balneário Rincão, Edmilson Braz Carlos, o Negão do Braz, a Procuradoria Geral do Município por meio de seu advogado Gabriel Schonfelder de Souza é quem irá julgar a partida.

“Está tudo nas mãos do procurador. O relatório do árbitro, o regulamento do campeonato e o ofício que foi entregue a Polícia Militar. Vamos aguardar a resposta”, disse Negão do Braz.

Entenda o caso

Aos 33 minutos da primeira etapa, quando o Praia vencia por 1 a 0, o atleta Max Willian da equipe de Siderópolis foi agredido por um torcedor que ocasionou um corte em sua cabeça que precisou ser enfaixada. Após a agressão, nova confusão entre os próprios jogadores foi registrada, com mais invasão dentro do campo. Por conta dos incidentes, o presidente do Ajax, Alberto Leopoldo, decidiu retirar sua equipe da arena do Praião.

O árbitro da partida, José Nazareno, relatou que não havia condições de jogo naquele momento por falta de segurança, devido à invasão dos torcedores. E a final da competição teve de ser interrompida sem um vencedor.

Polícia Militar estava preparada para intervir

Sobre a falta de policiamento na partida, o Comandante da 1ª Companhia da Guarnição Especial de Içara, Capitão Alberto Cardoso Cichella, explicou que havia conhecimento da partida por meio de um ofício, mas segundo ele, por conta da portaria Nº 814 da Legislação Estadual de Santa Catarina, a Polícia Militar não poderia atuar no evento. “Estávamos preparados tínhamos uma equipe maior, pois sabemos que eventos de futebol exigem questões de segurança mais complexos, ainda mais por ser em faixa de areia. Recebemos a ligação relatando invasão de campo, mas não agimos, pois não houve ocorrência grave. A coordenação do evento agiu perfeitamente prevenindo qualquer agravante maior”, informou o comandante.

Capitão Cichella ainda destaca ser de extrema importância à correção dos erros para que tenhamos campeonatos mais seguros nos próximos anos. “Eu sou da região e conheço o Praião, sei das dificuldades e o campeonato vinha encaminhando muito bem. É uma pena que isso tenha acontecido, mas com certeza será corrigido. Mesmo com esse tumulto a Operação Veraneio da PM foi uma das melhores dos últimos anos”, garantiu Cichella.

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.