Curso de moda possibilita a inclusão no ensino superior

Aos 21 anos, Juliana Alves Assis viu na possibilidade de fazer um ensino superior, uma maneira de se integrar e entrar no mercado de trabalho. Nem a deficiência auditiva fez com que a jovem desistisse do sonho de se formar no curso de Moda do Senai/ Unesc. Atualmente, ela, que cursa a primeira fase do curso, conta com o auxílio da intérprete Maria Selma para se integrar com os colegas da turma e também se comunicar com os professores.

“Minha vontade de fazer moda veio com a paixão que eu sempre tive por esse universo. Fiz um curso de Modelagem e percebi que era isso que queria como profissão. Estou cada dia gostando mais, me integrando com os colegas e aprendendo”, explica Juliana.

De acordo com a intérprete Maria Selma, a jovem está se integrando facilmente com a turma. “Ela é muito inteligente, esforçada e tem muita vontade de aprender. Isso é um grande diferencial que conseguimos notar nesses primeiros dias de aula”, esclarece.

Durante essa semana, a jovem participou, junto com os colegas de classe, de uma atividade que teve o objetivo de desenvolver a atividade de criar uma peça e desenhar o modelo desenvolvido pelas equipes. “Trabalhamos muito a importância da inclusão na moda. Os alunos pesquisaram um estilista, observaram o perfil de trabalho dele e criaram uma peça em um manequim. Depois disso criaram o desenho da peça. Tanto a Juliana, como os demais alunos trabalharam o processo inverso, desta forma conseguimos observar o desenho desses novos alunos”, esclarece a coordenadora do curso superior de Tecnologia em Design de Moda, Charlene Vicente Amâncio Nunes.

 

Você também pode gostar

Entre no nosso grupo do WhatsApp e seja atualizado em tempo real.